Ciência

Praticar exercícios antes da terapia pode potencializar seus efeitos, aponta estudo

Roanna Azevedo - 11/04/2022 às 21:24

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, concluiu que se exercitar por meia hora antes de fazer terapia é capaz de intensificar seus efeitos no combate à depressão por pelo menos 75 minutos. Para comprovar essa possibilidade, dois estudos diferentes foram organizados.

Foco mental: 2 exercícios simples e eficazes de mindfulness para melhorar a concentração

No primeiro deles, 30 pessoas com problemas depressivos foram divididas em dois grupos. Enquanto um andou de bicicleta durante meia hora, o outro permaneceu sentado no mesmo lugar. Durante esse período de tempo, todos responderam perguntas antes, depois e no meio dele, além de preencherem um questionário 25, 50 e 75 minutos após seu término. No final do experimento, os dois grupos voltaram ao laboratório para refazer o experimento, mas, dessa vez, o que pedalou ficaria sentado e vice-versa.

Foi comprovado que se exercitar por 30 minutos antes de fazer terapia pode fortalecer seus efeitos no combate à depressão por pelo menos 75 minutos.

Os resultados desse primeiro estudo foram bastante esclarecedores. Foi constatado que o humor dos participantes que fizeram exercício melhorou durante a meia hora de prática e assim permaneceu até 75 minutos depois. A insatisfação em realizar atividades agradáveis do cotidiano, também chamada de anedonia, só começou a aumentar após o fim desses 75 minutos.

Neurocientista ensina exercícios para treinar o foco mental como treinamos os músculos

A função cognitiva dos participantes também foi analisada. Aqueles que praticaram ciclismo terminaram mais rápido o teste Stroop, o que consiste em identificar com qual cor uma palavra foi escrita e não qual é a palavra em si. A velocidade de resposta desses pacientes diminuiu apenas a partir de 25 minutos após o treino.

A função cognitiva dos participantes que se exercitaram também se tornou mais rápida.

O segundo experimento consistiu em um estudo piloto. Os cientistas selecionaram cinco pessoas para se exercitarem de forma autônoma e com intensidade moderada por meia hora antes de fazerem uma sessão de terapia comportamental cognitiva. Enquanto isso, outros cinco participantes permaneceram realizando suas atividades cotidianas anteriores à consulta.

Caminhar junto de alguém pode prejudicar desempenho, mas não anula importância de exercício

Depois de oito semanas de análise, todos os participantes melhoraram, mas os que se exercitaram antes de fazer terapia reduziram ainda mais os sintomas da depressão. Além de apresentarem um “melhor aproveitamento” das sessões, eles também tiveram maior facilidade de estreitar laços com o terapeuta.

Agora os cientistas desejam descobrir como incorporar de vez exercícios físicos no tratamento de pessoas com depressão.

No geral, os resultados da pesquisa comprovaram que a prática de exercícios físicos deixou o cérebro mais preparado para se envolver emocionalmente e encarar novos desafios. O próximo passo para os cientistas é tentar descobrir como incorporar de vez esse hábito no tratamento de pessoas com depressão crônica.

Exercícios físicos podem reduzir risco de câncer de mama em até 25%

Publicidade

Foto 1: Pavel Danilyuk/Pexels

Foto 2: MART PRODUCTION/Pexels

Foto 3: SHVETS production/Pexels


Roanna Azevedo
Diretamente da zona norte do Rio, é jornalista por profissão e curiosa por conta própria. Ama escrever sobre cinema e o universo do entretenimento há mais de dois anos. Tem paixão por tudo que envolve cultura, música, arte e comportamento, além de ficar sempre ligada no que rola no mundinho da comunicação nas redes sociais.

Canais Especiais Hypeness