Arte

Pysanka: os ovos de Páscoa ucranianos são apenas maravilhosos

Vitor Paiva - 14/04/2022 às 16:27

Na Ucrânia, os ovos de Páscoa não são feitos de chocolate e vendidos a preço de ouro, mas sim manufaturados em verdadeiras obras de arte, cheias de significado e simbologias, como elementos de uma profunda tradição milenar. Chamados de Pêssanka ou Pysanka, na grafia eslava, os ovos são esvaziados por um pequeno furo feito com uma agulha e higienizados para serem coloridos à mão, com desenhos trazendo padrões populares, geométricos e representativos, utilizando técnicas antigas e tingimentos feito com cera e pigmentos naturais, retirados de folhas e vegetais.

Pysanka

A Pysanka ucraniana possui diversas técnicas e estampas em significados também diferentes

-10 ovos de páscoa diferentões para sair do clichê e se jogar de cabeça

Originalmente a Pysanka era uma tradição pagã, de quando polonêses e ucranianos adoravam divindades solares como o Dajbog, e oferecidos para presentear os deuses na primavera, mas com a chegada do cristianismo, os ovos desenhados tornaram-se símbolos da Páscoa. O nome “Pysanka” vem do verbo pisac, pysaty, que significa “escrever” ou “inscrever”, já que objetivamente os padrões não são pintados, mas sim inscritos com cera de abelha, utilizando um instrumento tradicional para aplicação da tinta de cera. Apesar do termo Pysanka ser comumente utilizado para representar todos os ovos coloridos dentro da tradição ucraniana, tal nome se refere, em verdade, especificamente a um tipo entre mais de 10 formas, técnicas e sentidos diferentes de estampa nos ovos coloridos da Páscoa eslava.

Os tipos mais antigos e mais modernos da "caneta" que aplica a tinta de cera nas cascas de ovo

Os tipos mais antigos e mais modernos da “caneta” que aplica a tinta de cera nas cascas de ovo

Pysanka

Detalhe de uma das estampas de Pysanka, representando a primavera

-Conheça Maria Prymachenko, heroína da arte popular na Ucrânia

A técnica Naklejanki, por exemplo, é feita colando objetos sobre a casca do ovo, enquanto a Krapanky decora o ovo somente com pontilhado, sem padrões ou geometrias. Ainda que a tradição seja costumeiramente feita em ovos de galinha, a Pysanka pode também utilizar ovos de codorna, pata, gansa ou ema. Se antes os ovos representavam o renascimento da natureza, a vida e a prosperidade com a chegada da primavera – em uma região em que a mudança de estação significava o fim do inverno e do frio rigoroso, e a chegada de uma época de florescimento, plantio e temperaturas mais amenas – , a partir do momento em que a Ucrânia se tornou um país cristão, no ano de 998, através de um típico processo de sincretismo religioso os ovos “inscritos” passaram a representar a ressureição de Cristo.

Pysankas típicas dos povos Hutsuls

Pysankas típicas dos povos Hutsuls

Pysankas

Exemplos de diferentes estilos de estampa nas Pysankas

-De onde vem a tradição de não comer carne na sexta-feira santa?

O que não se perdeu das origens milenares é a tradição de presentear os ovos inscritos para pessoas especiais – dentro da família e da comunidade, como um amuleto de proteção e um símbolo de afeto, respeito, carinho e admiração. Mas o sentido da Pysanka vai muito além: entre diversas lendas, superstições e significados aplicados, para o povo Hutsuls, grupo montanhês ucraniano, por exemplo, o futuro do planeta depende dos ovos inscritos, e enquanto a tradição da Pysanka seguir, o planeta vai continuar a existir. Durante o período comunista na história política da Ucrânia, a tradição migrou para a “clandestinidade” do interior das casas e para longe das grandes cidades – em muitos países com forte presença de imigrantes ucranianos, como o Brasil, a tradição manteve-se viva e protegida pelas casas de ovo.

As estampas se tornam elaboradas e são também vendidas sobre ovos de madeira na Ucrânia

As estampas se tornam elaboradas e são também vendidas sobre ovos de madeira na Ucrânia

Publicidade

© fotos: Wikimedia Commons


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness