Debate

Técnico que agrediu bandeirinha com cabeçada foi demitido e pode ser suspenso por máximo de 180 dias

Vitor Paiva - 14/04/2022 às 09:52

Ao fim do primeiro tempo de uma partida entre os times Nova Venécia e Desportiva Ferroviária, pelo Campeonato Capixaba, o técnico Rafael Soriano, então dirigindo a equipe da Desportiva, agrediu com uma cabeçada a assistente de arbitragem Marcielly Netto.

A agressão ocorreu após o juiz decretar o fim do primeiro tempo antes do time cobrar um escanteio: após correr ao campo para pressionar o juiz, o agressor se dirigiu na direção da bandeirinha para, em seguida, desferir o golpe contra o rosto da assistente, que levou a mão ao rosto após sofrer o ataque.

A assistente de arbitragem Marcielly Netto

O momento em que o homem desfere a cabeçada contra a assistente de arbitragem

Em seguida, Marcielly Netto se afasta do agressor com a mão no rosto

Em seguida, Marcielly Netto se afasta do agressor com a mão no rosto

-Dois dias após denunciar machismo, bandeirinha é atingida com água fervendo

A sequência espanta pela violência e pela quase inexistente reação por parte dos atletas ao redor da agressão. Soriano foi imediatamente expulso pelo árbitro Arthur Gomes Rabelo e, após a partida, demitido do cargo que ocupava no time do Espírito Santo.

Segundo foi confirmado, a violência não se encerrou na cabeçada: o homem também xingou Marcielly, negou a agressão que foi filmada, e ainda ameaçou a assistente. “Se você disser que eu te agredi nós vamos para a delegacia, eu vou te processar”, afirmou Soriano. “Ela está dizendo que eu agredi. Mentira. Está se usando porque é mulher. Está querendo aproveitar de uma situação porque é mulher”, ele disse, para a TV local.

-Rádio é criticada após comentarista sugerir fio dental para jogadoras de futebol

“A Desportiva Ferroviária vem a público informar que repudia toda e qualquer tipo de violência, seja física, verbal, moral ou emocional, principalmente contra mulheres, e nos solidarizamos com a assistente de arbitragem Marcielly Netto, nos colocando à disposição para aquilo que for necessário”, afirmou o clube, em nota, após confirmar a demissão.

A Federação de Futebol do Espírito Santo também emitiu nota em repúdio, e encaminhou a súmula para o Tribunal de Justiça de Desportiva do Espírito Santo (TJD-ES), para que o caso seja julgado.

A assistente de arbitragem Marcielly Netto

A assistente de arbitragem Marcielly Netto

-Conversamos com as Dibradoras, as minas que deram um bico no machismo pelo amor ao futebol

“A Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo (FES) afirma que combate e repudia qualquer ato de violência, este praticado pelo treinador da Desportiva Ferroviária, e que dará todo o suporte necessário à árbitra assistente Marcielly Netto”, diz a nota.

O ex-técnico foi suspenso preventivamente pelo TJD-ES por 30 dias, deverá ser julgado pela Corte desportiva: se condenado, pode ser suspenso por pelo menos 180 dias de, de acordo com o Parágrafo 3º do Art. 254-A do CBJD. A Desportiva Ferroviária perdeu o jogo por 3 a 1 e foi eliminada do campeonato capixaba.

O agressor, Rafael Soriano, ex-técnico da Desportiva Ferroviária

O agressor, Rafael Soriano, ex-técnico da Desportiva Ferroviária

O treinador que agrediu a profissional pediu desculpas. Rafael Soriano disse que não tinha condições emocionais de se manifestar antes.

“Quero vir a público pedir perdão à Marcielly, que é a grande vítima dessa situação. Espero que, depois de responder em todos os meios cabíveis, eu tenha a oportunidade de pedir esse perdão pessoalmente, ser perdoado e ficar em paz comigo e com ela”.

Publicidade

© fotos 1, 2: YouTube/reprodução

© foto 3: Federação de Futebol do Espírito Santo/reprodução

© foto 4: Desportiva Ferroviária/divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness