Debate

Trabalhadores conseguem vitória importante com 1º sindicato da Amazon nos EUA

Yuri Ferreira - 26/04/2022 às 09:19 | Atualizada em 28/04/2022 às 10:18

No dia 1º de abril, os trabalhadores da Amazon do estado de Nova York aprovaram sua sindicalização depois de uma batalha política que durou meses.

Os funcionários do depósito Staten Island JFK8 aprovaram a sindicalização por 2.654 a 2.131 votos, de acordo com a OSHA (Occupational Safety and Health Administration ou Administração Segurança Ocupacional e de Saúde), o mais próximo que os EUA possuem de um Ministério do Trabalho.

Luta por sindicalização na Amazon é comum ao redor do planeta; em imagem, sindicalistas de Bangladesh se manifestam por melhores condições de trabalho

Esses são os primeiros profissionais da Amazon a se sindicalizar. Vale lembrar que essa é a maior empresa do planeta terra.

– Monitoramento eletrônico de funcionários em casa cresce em empresas: ‘Assustador’

No ano passado, um grande conflito sobre a sindicalização se deu no Alabama, onde a empresa fez uma forte campanha para evitar a sindicalização e conseguiu vencer o projeto sindicalista.

Empresa tenta coibir sindicalização

Mesmo após os grandes esforços, a Amazon não conseguiu impedir a força dos sindicalistas em Nova York e a tendência é que a sindicalização se espalhe pelas grandes empresas.

A corporação é acusada de fazer “Union Busting”, ou seja, impedir funcionários de se organizar e tentar coibir de forma intensa qualquer tipo de formação pró-sindicalista.

– Uber pagará salário mínimo, férias e aposentadoria para motoristas no Reino Unido; entenda

Reportagens do Intercept mostraram que a empresa chegou a proibir as palavras “sindicato”,  “trabalho escravo” e “prisão”  dentro de seu aplicativo de mensagens interno.

No Alabama, trabalhadores escolheram por não se sindicalizar após campanha milionária da Amazon para evitar a organização

Além disso, há denúncias de que funcionários que tentavam organizar sindicatos em outros depósitos foram demitidos pela empresa para tentar coibir a organização de seus trabalhadores.

A empresa também anunciou que irá tentar rever a votação que aprovou a criação do sindicato na Justiça, para tentar criar uma nova votação.

 

Publicidade

Fotos: © Getty ImagesReprodução/


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Canais Especiais Hypeness