Debate

8 mineradores estão presos a 520 metros há mais de um mês em Burkina Faso

23 • 05 • 2022 às 09:59 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Por conta de uma uma enchente, um grupo de oito mineradores se encontra há mais de um mês preso nas profundezas da mina Perkoa, em Burkina Faso, a oeste do continente africano. A mina teve sua saída bloqueada pelas águas e, enquanto a maior parte dos trabalhadores conseguiu fugir antes da inundação tomar por completo o local, oito indivíduos que estavam abaixo do nível 520, a cerca de 520 metros da superfície, permaneceram presos. O acidente foi anunciado no dia 16 de abril pela empresa Trevali Mining Corp., que administra a mina de zinco, após uma forte chuva inesperada para o período.

Vista geral da mina Perkoa, em Burkina Faso

Vista geral da mina Perkoa, em Burkina Faso, onde o acidente ocorreu

-Fotos sinistras do misterioso vale tóxico na Romênia assolado pela mineração

O progresso das equipes de resgate vem sendo lento por conta da necessidade de bombear 2,5 milhões de litros de água para cada metro conquistado: assim, são cada vez menores as esperanças de encontrar com vida os trabalhadores presos no local. “Sempre há esperança, mas também temos que ser realistas”, afirmou Ricus Grimbeek, CEO da empresa que opera a mina. “Essas câmaras não são projetadas para serem submersas em água. As câmaras são desenhadas para desmoronamentos e quando há ambiente tóxico, como com fumaça”, explicou.

A exata entrada do local onde a enchente aconteceu

A exata entrada do local onde a enchente aconteceu

-Brasil tem quase 50 barragens em nível de emergência com risco de repetição de catástrofes

Recentemente a equipe alcançou uma câmara de resgate mas não encontrou ninguém no local, reduzindo ainda mais as chances de encontrar com vida o grupo, formado por seis cidadãos de Burkina, um da Tanzânia e um da Zâmbia. “Tudo sugere que os mineradores não conseguiram alcançar a câmara de segurança no momento da inundação, mas as buscas continuam”, afirmou o governo local em comunicado. Amigos e parentes dos trabalhadores desaparecidos vêm se reunindo diariamente diante da mina, localizada na província de Sanguié, a 120 km de Ouagadougou, capital do país.

A equipe de resgate recebeu novas bombas e equipamentos da África do Sul e Gana para trabalhar mais rápido

A equipe de resgate recebeu equipamentos da África do Sul e Gana para trabalhar mais rápido

-Como foi o resgate épico dos 12 garotos presos em caverna na Tailândia

Segundo informações oficiais, no último domingo a equipe se encontrava a cerca de 3,5 metros do local onde se supõe que os trabalhadores se encontram. O primeiro-ministro de Burkina Faso, Albert Ouedraogo, visitou o local e anunciou a abertura de uma investigação para apontar os responsáveis pelo incidente, proibindo os funcionários da empresa a deixar o país – os executivos da Trevali afirmaram que foram pegos de surpresa pela chuva intensa durante período de seca no país.

Publicidade

© foto 1: Trevali Mining Corp/divulgação

© foto 2: Wikimedia Commons

© foto 3: Twitter/reprodução


Canais Especiais Hypeness