Arte

Como a maior coleção de vodu da África Ocidental acabou numa torre de água na França

26 • 05 • 2022 às 08:15
Atualizada em 30 • 05 • 2022 às 11:26
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

As religiões vodu são importantíssimas nas regiões do antigo reino de Daomé, região hoje recortada por países como Benin, Nigéria, Gana e Togo. Mas a maior coleção de artefatos de fé desses povos está na… França! O ‘Chateau Voudou’, em Estrasburgo, no leste da França, detém o título de maior acervo de objetos religiosos vodu do planeta.

E como essas peças de povos negros e colonizados foram parar na mão dos franceses brancos Marc e Marie Loucie Arbogast?

Casal francês alega que museu é instrumento de memória e preservação da fé vodu

O casal viajou nos anos 1960 para o Golfo de Benin e acabou conhecendo a fé do vodu na região. Eles começaram a estudar a religião e acabaram se encantando pelas lógicas das religiões Daomé.

Ao contrário da maioria das coleções da França e do Reino Unido, as peças de Marc e Marie Loucie foram adquiridas com a autorização dos Bokonos, líderes espirituais do Vodu no Oeste Africano.

Objetos estão disponíveis para apreciação de fé de visitantes e historiadores

O casal adquiriu algumas peças de outros museus e coleções particulares, mas sempre exigiu garantias de que os objetos não foram roubados ou saqueados.

Apropriação cultural

O museu foi duramente criticado por ativistas antirracistas franceses durante a onda de protestos do Black Lives Matter em 2020. Contudo, a direção do local afirma que tem responsabilidade social para manter o local.

Havia um Kéléssi – deidade que recebe oferendas – no local, mas ele foi desativado por Bokonos

“Nosso trabalho consiste em manter a tradição viva, preservá-la e criar uma espaço de memória e vida para objetos da fé vudu”, afirma Adeline Beck, diretora do espaço.

“Para preservar e proteger os objetos que compõem esta coleção, é necessário mantê-los, limpá-los, por isso nos permitimos com muito cuidado tocá-los: conhecemos sua história e suas especificidades… os objetos tornaram-se, por causa de seu contexto museológico, dessacralizados. No entanto, permanecemos plenamente conscientes de sua carga espiritual e por isso procuramos preservá-los, protegê-los, tratá-los com o maior respeito”.

O museu se localiza em uma caixa d’água antiga e recebe centenas de visitantes todos os anos. Atualmente, existem milhares de crentes no Vodu e suas variações ao redor do mundo. São 30.000 beninenses, 30.000 nigerianos e 62.000 haitianos, 12.000 togoleses e 10.000 ganenses com essa fé ao redor do planeta.

Museu fica em Caixa D’água na cidade de Estrasburgo, na região de Alsácia, na França

Publicidade

Fotos: Foto 1: ©M. Wittmer sob creative commons Foto 2 e 3: © Claude Truong-Ngoc Foto 4: ©Ji-Elle


Canais Especiais Hypeness