Debate

Polícia fecha abatedouro que vendia carne de cavalo como se fosse de boi

19 • 05 • 2022 às 13:50
Atualizada em 19 • 05 • 2022 às 15:01
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

A Polícia Civil de Minas Gerais fechou um abatedouro na cidade de Mercês, na Zona da Mata (MG), por vender carne de cavalo como se fosse bovina.

O abatedouro clandestino distribuía carne para a cidade de Ubá, nas proximidades de Mercês. Ao entrar no local, a polícia mineira encontrou dois cavalos mortos no local prontos para corte.

Abatedouro ilegal comercializava carne de cavalo como se fosse de boi em Minas Gerais; quatro homens foram detidos por diversos crimes envolvendo matança de equestres

O consumo e venda de carne de cavalo não é ilegal no Brasil, mas deve ser feito de forma adequada com os  padrões da vigilância sanitária. O abatedouro deve ser inspecionado, atender a condições básicas de higiene e deve sinalizar que o produto vendido é de equinos.

Contudo, as investigações indicaram que o estabelecimento comercializava a proteína equestre como se fosse a bovina. Quatro homens foram detidos e podem ser condenados pelos crimes de  falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de substância ou produtos alimentícios. A pena varia entre 4 e 8 anos, além de multa. Eles foram presos em flagrante.

“As investigações prosseguem para identificação de eventuais açougues que tenham recebido esses animais”, afirmou Diêgo Candian Alves, delegado regional da Polícia Civil em Ubá, à reportagem da Folha de São Paulo.

Em fevereiro de 2021, um açougue em Tubarão, Santa Catarina, foi fechado por comercializar carne de cavalo como se fosse a bovina. A prática é recorrente em diversas cidades brasileiras.

Tem problema comer carne de cavalo?

A carne de cavalo comercializada de forma correta e inspecionada pela vigilância sanitária não traz nenhum risco à saúde. Seu consumo é extremamente comum em diversos países do oriente, como na Ásia Central, na Mongólia e no Japão.

Em terras japonesas, por exemplo, seu consumo é usualmente cru, na forma de sashimi. O alimento ganha o nome de sakura (桜) or sakuraniku (桜肉).

Carne de cavalo crua é consumida de forma recorrente no Japão; animal é principal fonte de proteína em países como Mongólia e Tajiquistão

Contudo, a comercialização legalizada desse tipo de proteína no Brasil é ínfima. O grande problema das carnes de cavalo brasileiras é que usualmente elas são vendidas como boi e tem origem em abatedouros clandestinos, onde as condições mínimas de higiene e segurança alimentar não são respeitadas.

Além disso, se o tratamento de animais já é cruel em ambientes minimamente inspecionados pelas agências governamentais, em abatedouros clandestinos isso se torna um verdadeiro mistério.

 

Publicidade

Fotos: Polícia Civil de Minas Foto 2: Nesnad


Canais Especiais Hypeness