Arte

Por 195 milhões de dólares, Marilyn por Warhol se torna a obra mais cara do século 20; veja as mais valiosas da história

16 • 05 • 2022 às 10:15
Atualizada em 18 • 05 • 2022 às 09:13
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

O quadro “Shot Sage Blue Marilyn”, de Andy Warhol, retratando Marilyn Monroe em um fundo azul, tornou-se a obra mais cara produzida no século XX já vendida em um leilão público. A peça foi arrematada por 195 milhões de dólares, equivalentes a pouco mais de 1 bilhão de reais, em leilão no último dia 9 de maio, em Nova York, e é parte de uma série de retratos de 1 X 1 metro da atriz estadunidense produzidos por Warhol após a morte de Marilyn, em 1962, e concluídos em 1964. Os quadros foram feitos a partir de serigrafias do rosto da atriz, sobre a qual o gênio da Pop Art pintou cores explosivas e diferentes fundos na série, intitulada “Shot Marilyns”.

“Shot Sage Blue Marilyn", de Warhol, na casa de leilão Christie's: o quadro é parte de uma série de retratos da atriz

“Shot Sage Blue Marilyn”, na Christie’s: o quadro é parte de uma série de retratos da atriz

-Obra de Picasso precisou de 19 minutos para ser vendida por mais de R$ 500 milhões

A venda foi realizada pela casa de leilões Christie’s e, apesar do recorde alcançado, ficou abaixo do valor estimado originalmente pela casa, de 200 milhões de dólares. O lance que arrematou a obra, colocada à venda pela Fundação Thomas e Doris Ammann, foi alcançado em apenas quatro minutos: quem comprou o retrato foi o marchand e investidor estadunidense Larry Gagosian, dono da rede de galerias de arte Gagosian Gallery, e considerado um dos maiores negociadores de obras de arte do mundo – não se sabe se ele realizou a compra para a própria coleção ou em nome de outro investidor.

Andy Warhol diante de dois quadros da série "Shot Marilyns"

Andy Warhol diante de dois quadros da série “Shot Marilyns”

-Tudo sobre o histórico vestido de Marilyn Monroe que Kim Kardashian usou no Met Gala de 2022

Além da obra produzida no século XX mais cara já vendida em um leilão público, os 195 milhões de dólares oferecidos pelo retrato de Marilyn Monroe tornaram o quadro de Warhol a obra estadunidense mais cara já vendida em um leilão do tipo – superando o marco que antes pertencia ao quadro sem título pintado por Jean-Michel Basquiat em 1982, mostrando uma caveira sobre fundo azul, adquirido por 110,5 milhões de dólares em 2017. “Shot Sage Blue Marilyn” foi produzido por Warhol a partir de fotografia da atriz tirada para a divulgação do filme Torrentes de Paixões, de 1953, e o nome da série “Shot Marilyns”, faz referência ao fato dos quadros terem sido danificados com um tiro, dado por uma amiga do artista – mais tarde, porém, as telas foram devidamente restauradas.

Foto original, tirada para a divulgação do filme Torrentes de Paixões, de 1953

Foto original, tirada para a divulgação do filme Torrentes de Paixões, de 1953

"Untitled", de Jean-Michel Basquiat, vendido em 2017 por 110,5 milhões de dólares

“Untitled”, de Jean-Michel Basquiat, vendido em 2017 por 110,5 milhões de dólares

A sétima mais cara da história

A venda recente tornou a obra de Warhol a segunda mais cara já arrematada em um leilão público, atrás somente da pintura “Salvator Mundi”, de Leonardo da Vinci, que se tornou a obra mais cara da história ao ser leiloada em 2017 por 450 milhões de dólares, equivalentes a mais de 2,2 bilhões de reais. Ao ocupar a segunda colocação da lista, “Shot Sage Blue Marilyn” superou o valor alcançado por “As Mulheres de Argel”, de Pablo Picasso, vendido também pela Christie’s em 2015 por 179,4 milhões de dólares, e atualmente a terceira obra mais cara. “Nu Reclinado”, de Amedeo Modigliani, é o quarto quadro mais caro já leiloado, vendido também em 2015 por 170,4 milhões de dólares, e também é de Modigliani o quinto colocado, “Nu deitado sobre o lado esquerdo”, leiloado por 157 milhões em 2018.

Por 450 milhões, a pintura “Salvator Mundi”, de Leonardo da Vinci, se tornou a mais cara da história

A pintura “Salvator Mundi”, de Leonardo da Vinci, se tornou a mais cara da história

-Obra de arte mais valiosa já vendida foi quase toda pintada por ajudante de Da Vinci, diz especialista

A lista supracitada não inclui, porém, obras vendidas privadamente, fora de casas de leilão, uma vez que os valores divulgados não podem ser oficialmente confirmados. Em uma lista que inclua vendas particulares, o quadro de Warhol passa a ocupar a terceira colocação entre os mais caros do século passado, atrás de “Interchange”, pintado por Willem de Kooning em 1955 e considerado o segundo quadro mais caro da história, vendido em 2015 por 300 milhões de dólares, e de “Number 17A”, de Jackson Pollock, pintado em 1948 e vendido por 200 milhões de dólares em 2015.

“Interchange”, de Willem de Kooning, foi vendido por 300 milhões de dólares

“Interchange”, de Willem de Kooning, foi vendido por 300 milhões de dólares

Na lista geral, portanto, reunindo vendas particulares e em leilões, o quadro de Da Vinci segue no topo, e “Shot Sage Blue Marilyn” se torna a sétima obra mais cara de todos os tempos. A lista completa dos quadros mais caros pode ser vista abaixo.

O retrato de Marilyn por Andy Warhol foi leiloado no dia 9 de maio por 195 milhões de dólares

O retrato de Marilyn por Andy Warhol foi leiloado no dia 9 de maio por 195 milhões de dólares

Os 10 quadros mais caros de todos os tempos

1 – “Salvator Mundi”, de Leonardo da Vinci – concluído em cerca de 1500 e vendido em 2017 por 450 milhões de dólares em leilão da Christie’s

2 – “Interchange”, de Willem de Kooning – concluído em 1955 e vendido em 2015 por 300 milhões de dólares em transação privada

3 – “Les Joueurs de cartes”, de Paul Cézzanne – concluído entre 1892 e 1893 e vendido em 2011 por 250 milhões de dólares em transação privada

"Les Joueurs de cartes", de Paul_Cézanne

“Les Joueurs de cartes”, de Paul Cézanne, o terceiro quadro mais caro da história

4 – “Nafea faa ipoipo?”, de Paul Gauguin – concluído em 1892 e vendido em 2014 por 210 milhões de dólares em transação privada

5 – “Number 17A”, de Jackson Pollock – concluído em 1948 e vendido em 2015 por 200 milhões de dólares em transação privada

6 – “The Standard Bearer”, de Rembrandt – concluído em 1636 e vendido em 2022 por 198 milhões de dólares em transação privada

7 – “Shot Sage Blue Marilyn”, de Andy Warhol – concluído em 1964 e vendido em 2022 por 195 milhões de dólares em leilão na Christie’s

8 – “No. 6 (Violet, Green and Red)”, de Mark Rothko – concluído em 1951 e vendido em 2014 por 186 milhões de dólares em transação privada

9 – “Wasserschlangen II”, de Gustav Klimt – concluído entre 1904 e 1907 e vendido em 2013 por 183,8 milhões de dólares

10 – “Les Femmes d’Alger”, de Pablo Picasso – concluído em 1955 e vendido em 2015 por 179,4 milhões de dólares em leilão na Christie’s

"Wasserschlangen II", de Gustav Klimt

“Wasserschlangen II”, de Gustav Klimt, o nono colocado na lista

Publicidade

© fotos 1, 2, 7: Getty Images

© fotos 3, 4, 5, 6: Wikimedia Commons


Canais Especiais Hypeness