Arte

Seis fatos sobre o quadro ‘Terraço do Café à Noite’, uma das obras-primas de Vincent Van Gogh

20 • 05 • 2022 às 17:39
Atualizada em 23 • 05 • 2022 às 17:55
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

O quadro “Terraço do Café à Noite” foi concluído por Vincent Van Gogh em 1888 como uma das 200 pinturas realizadas pelo pintor holandês durante o período em que viveu em Arles, ao sul da França, e é considerado uma das tantas obras revolucionárias assinadas pelo pintor.

O artista viveu na cidade entre fevereiro de 1888 e maio de 1889, buscando se afastar dos excessos de Paris, que se tornaram em problemas de saúde por excessos com o tabaco e o álcool, e outras importantes pinturas foram produzidas no período – há, porém, alguns interessantes fatos que tornam o retrato noturno do café uma pintura ainda mais importante.

O quadro “Terraço do Café à Noite”, concluído por Van Gogh em Arles, em 1888

O quadro “Terraço do Café à Noite”, concluído por Van Gogh em Arles, em 1888

-5 lugares que inspiraram alguns dos quadros mais incríveis de Van Gogh

Atualmente, “Terraço do Café à Noite” encontra-se no acervo do Museu Kröller-Müller, em Otterlo, na Holanda, mas durante o segundo semestre de 1888 ele ocupou a atenção e o trabalho de Van Gogh enquanto o artista se exilava em Arles. Alguns elementos importantes do trabalho (e da genialidade) do artista no período surgiram nessa pintura, que retrata uma cena boêmia, de um bar localizado entre o Place du Forum e a Rue de Palais, no centro da cidade.

No período, apesar da saúde mental de Van Gogh encontrar-se em declínio, a furiosa criatividade do artista atingia uma espécie de auge: foi em Arles que ele concluiu obras-primas como “Noite Estrelada Sobre o Ródano” e “Quarto em Arles”.

"Quarto em Arles", outra obra-prima realizada pelo pintor durante o período

“Quarto em Arles”, outra obra-prima realizada pelo pintor durante o período

Selecionamos, assim, seis fatos curiosos sobre “Terraço do Café à Noite”, capazes de ajudar a ilustrar as particularidades do processo de Van Gogh, e dessa pintura, hoje reconhecida como um de seus mais importantes trabalhos.

O quadro é baseado em um lugar real

Retratando um café repleto de pessoas bebendo à noite sob uma luz artificial, o quadro é baseado em uma cena que o artista provavelmente observou, visto que o local de fato existia: o rascunho da obra sugere a observação de Van Gogh, que adorava pintar cenas reais.

O café que inspirou Van Gogh, no centro de Arles, em fotografia recente

O café que inspirou Van Gogh, no centro de Arles, em fotografia recente

-Kubrick se inspirou em quadro de Van Gogh para cena de ‘Laranja Mecânica’

É a primeira aparição da icônica “noite estrelada”

Se o esplendor do quadro “Noite Estrelada” só surgiria em junho de 1889, em “Terraço do Café à Noite” é a primeira vez que sua expressionista e icônica forma de registrar os céus noturnos apareceria – e que também pode ser vista em “Noite Estrelada Sobre o Ródano”, pintado no período. “Quando sinto uma terrível necessidade de religião, saio à noite para pintar as estrelas”, escreveu o artista.

“Noite Estrelada Sobre o Ródano” também foi pintado em Arles

“Noite Estrelada Sobre o Ródano” também foi pintado em Arles

As estrelas no quadro estão nas posições certas

É sabido que o quadro foi concluído em setembro de 1888 mas, após pesquisadores conseguirem definir que ele trabalhou na peça especialmente entre os dias 17 e 18 do mês. Assim, puderam comparara as posições das estrelas na tela com onde estariam de fato, no ângulo e no período específico – e descobriram que o artista posicionou precisamente as estrelas na pintura.

A posição das estrelas em “Terraço do Café à Noite”

A posição das estrelas em “Terraço do Café à Noite”

Ele não usou tinta preta

Apesar de se tratar de uma pintura noturna, Van Gogh propositalmente desenvolveu a cena sem usar tinta preta, combinando tons diferentes de outras cores. “Agora, há uma pintura de noite sem preto. Com nada além de lindos azul, violeta e verde, e nesses arredores o quadrado iluminado é de sopro de pálido colorido, verde limão”, escreveu, sobre a tela, em carta para sua irmã.

-Lugar exato onde Van Gogh pintou sua última obra pode ter sido encontrado

O quadro teve outros títulos

Antes de passar a ser conhecido como “Terraço do Café à Noite”, a pintura foi nomeada como “Terraço do Café na Place du Forum”, e chegou a ser exibida em 1891 com o título de “Café, à noite”. O nome completo do trabalho, no entanto, é “O Terraço do Café na Place du Forum, Arles, à Noite”.

Desenho do café, feito por Van Gogh em rascunho para o quadro

Desenho do café, feito por Van Gogh em rascunho para o quadro

-Série de fotos homenageia os campos de lavanda do sul da França

O café ainda está lá

Mesmo passados tantos anos, o café retratado por Van Gogh ainda existe, e recebe um sem-fim de turistas e visitantes como verdadeiro ponto turístico do centro de Arles. Em 1990 ele ainda foi reformado, para se parecer perfeitamente com o que o artista retratou no quadro: uma réplica a pintura foi colocada em ângulo preciso no local, oferecendo a visão que inspirou Van Gogh.

O café atualmente, com o quadro posicionado, mostrando o ângulo preciso

O café atualmente, com o quadro posicionado, mostrando o ângulo preciso

Publicidade

Canais Especiais Hypeness