Inspiração

Aluna de escola estadual é aprovada em 7 universidades internacionais

21 • 06 • 2022 às 19:19
Atualizada em 24 • 06 • 2022 às 10:24
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Após concluir o Ensino Médio na rede estadual de São Paulo, a jovem Fernanda Trajano Bogue foi aprovada em sete universidades internacionais, das quais cinco são nos EUA, e duas na Coreia do Sul.

A estudante, que tem 20 anos e mora em São Vicente, município da região de Santos, também trabalha como professora de inglês, sempre sonhou em cursar Administração de Negócios fora do Brasil, e planeja ainda esse ano começar os estudos no país asiático.

A estudante Fernanda Trajano Bogue com documento de aprovação de uma das sete universidades

A estudante Fernanda Trajano Bogue com documento de aprovação de uma das sete universidades

-Saiba quais as duas únicas universidades brasileiras no ranking de reputação global

“Eu fala com meus pais sobre estudar fora”

A escolha pela Solbridge International School of Business, escola de administração em Daejeon, na Coréia do Sul, se deu pela excelência do curso, mas também pela oferta de uma bolsa de estudos de 80% do valor.

Fernanda havia feito contato com universidades nos EUA, mas questões financeiras impediram seu ingresso. “Eu falava com meus pais sobre estudar fora, e eles respondiam que era impossível, que não tinham dinheiro. Brincavam até que eu tinha ‘sonhos de pessoas ricas’. Mas sempre quis isso para a minha vida”, comentou, em reportagem do G1.

A jovem precisou manter-se entre os melhores alunos para conseguir a aprovação nas instituições

A jovem precisou manter-se entre os melhores alunos para conseguir a aprovação nas instituições

-Jovem da periferia de SP cria crowdfunding para tentar chegar a Harvard

Para conseguir conquistar as vagas, ela precisou ranquear entre os melhores alunos de sua escola, enviar cartas de recomendação de seus professores às universidades internacionais, realizar com sucesso entrevistas e provas em inglês, e ainda completar uma série de atividades extracurriculares.

A estudante explicou que, fora do Brasil, o processo seletivo exige que o aluno seja bom em todas as áreas, e que apresente um planejamento concreto do que pretende realizar a partir da conclusão do curso.

Arte da campanha de financiamento coletivo para levantar a quantia necessária para Fernanda

Arte da campanha de financiamento coletivo para levantar a quantia necessária para Fernanda

-Como é a vida nos minúsculos apartamentos de 3m² da Coreia do Sul

‘Fefé na Corieia’

A bolsa de 80% ainda não garante a ida de Fernanda para a universidade sul-coreana: as regras da instituição de ensino determinam que a jovem só pode trabalhar no segundo semestre, e ela tem até o dia 15 de julho para juntar cerca de R$ 40 mil, a fim de garantir o restante do pagamento da universidade e seus mantimentos para o período.

Assim, para alcançar a quantia e realizar seu sonho tão merecido, ela iniciou a campanha “Fefe na Coreia” através de suas redes sociais: as ajudas podem vir em qualquer valor através de um pix para o email fefenacoreia@gmail.com, ou com um mínimo de R$ 25 pelo site Vakinha.

O valor total precisar ser pago à instituição coreana até o dia 15 de julho para ela poder viajar

O valor total precisar ser pago à instituição coreana até o dia 15 de julho para ela poder viajar

Publicidade

Canais Especiais Hypeness