Ciência

Nasa estudará planeta para confirmar possível chuva de lava

15 • 06 • 2022 às 09:09 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Jornalista, escritor e músico, Vitor Paiva é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade.

Os trabalhos do telescópio James Webb, da Nasa, começarão em julho desse ano, e a expectativa é grande na agência espacial para estudar exoplanetas como o LHS 3844 b e o 55 Cancri e, onde se acredita que existam oceanos e chuvas de lava cobrindo a superfície. Os dois exoplanetas serão os primeiros explorados pelo telescópio, mas é o 55 Cancri e que mais chama a atenção, por sua temperatura extrema, muito acima do ponto de fusão dos minerais que formam rochas: estima-se que, por lá, o calor chegue a 2.400 graus celsius durante o dia.

Representação artística do 55 Cancri e, próximo de sua estrela com seus 2400 graus celsius

Representação artística do 55 Cancri e, próximo de sua estrela com seus 2400 graus celsius

-Meteorito atinge telescópio espacial James Webb e provoca danos

O exoplaneta foi descoberto em 2004, e se encontra a “apenas” 2,4 milhões de quilômetros da estrela que orbita – uma distância 25 vezes menor que o espaço entre o sol e Mercúrio, planeta mais próximo de nossa estrela. Observações sugerem que o lado mais quente do 55 Cancri e não é, porém, a face virada para a estrela: a explicação pode estar na possível atmosfera do exoplaneta, ou em sua rotação. O planeta tem a massa mais de 8 vezes maior e o diâmetro duas vezes maior que o da Terra.

Montagem do telescópio James Webb, da NASA

Montagem do telescópio James Webb, da NASA

-20 planetas misteriosos com anomalias que podem ser indícios de vida

A primeira hipótese levantada sugere que a movimentação de calor se dê por conta do planeta possivelmente possuir uma atmosfera dinâmica e espessa, feita de oxigênio ou nitrogênio. “Se tiver uma atmosfera, o James Webb tem a sensibilidade e o alcance de comprimento de onda para detectá-la e determinar do que é feita”, afirmou Renyu Hu, especialista do Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa, que lidera uma equipe que trabalhará com o telescópio para estudar a emissão térmica do lado diurno do 55 Cancri e.

O 55 Cancri e pode possuir um oceano de lava em sua superfície

Por sua temperatura, o 55 Cancri e pode possuir um oceano de lava em sua superfície

-Retrospectiva sonora: os sons da Nasa descobrindo mais de 5 mil exoplanetas desde 1992

A outra possível explicação pode estar na movimentação do planeta – que pode ser semelhante a de Mercúrio, e completar três rotações para cada duas órbitas na estrela, em padrão conhecido como ressonância 3:2. Nesse caso, o planeta fora do nosso sistema solar possuiria um ciclo de dia e noite como acontece na Terra, que acaba por levar algum tempo para aquecer, fazendo com que a hora mais quente não seja ao meio-dia, mas sim durante a tarde. Essa hipótese pode fazer com que a superfície aqueça, derreta e até evapore durante o dia, formando uma fina atmosfera e provocando processo de condensação que faria com que a lava derretida chovesse durante a noite sobre a superfície do planeta.

"Vida de lava": Pôster criado pela Nasa mostrando a lava que cobre o planeta

“Vida de lava”: Pôster criado pela Nasa mostrando a lava que cobre o planeta

Publicidade

© fotos 1, 3, 4: Wikimedia Commons

© foto 2: Getty Images


Canais Especiais Hypeness