Debate

Quem é Alex Kipman, o brasileiro que vai deixar a Microsoft após denúncias de assédio sexual

09 • 06 • 2022 às 14:24
Atualizada em 09 • 06 • 2022 às 14:35
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

O brasileiro Alex Kipman foi desligado da Microsoft depois de ser acusado de assédio sexual por funcionárias. O especialista em tecnologia era um dos principais nomes da empresa e comandava a equipe de realidade aumentada da gigante da tecnologia estadunidense.

– Silvio Santos é acusado de assédio moral em processo movido por Rachel Sheherazade

Cerca de 25 trabalhadores da empresa de tecnologia testemunharam assédios de Kipman para investigação de compliance, afirma revista Business Insider

As informações são da Business Insider, veículo especializado em empresas do EUA. O jornal obteve acesso a um documento do compliance da Microsoft.

– Assédio: mulheres criam termo ‘Zé IML’ contra objetificação feita por homens nas redes sociais

Cerca de 25 funcionários foram ouvidos pela própria empresa sobre o comportamento de Alex. Todos relataram comportamentos abusivos por parte de Kipman contra sua equipe. Há funcionários que relataram ter sido “alertados para não deixar mulheres sozinhas” perto de Alex. Os relatos falam de toques e mensagens inadequadas para trabalhadoras.

O brasileiro era o número um da Microsoft dentro do projeto HoloLens, óculos de realidade aumentada da empresa de tecnologia responsável pelos sistemas operacionais Windows. Após as denúncias, ele deve seguir por mais dois meses na empresa para fazer a transição para seu substituto dentro do projeto.

O acusado de assédio havia trabalhado no desenvolvimento do Kinect da Xbox, considerado um sucesso dentro do mundo dos jogos.

– Bia, assistente de voz do Bradesco, vai responder mensagens de assédio

A Microsoft afirmou que Kipman sairá da empresa para “buscar outros interesses”. Ele estava há 21 anos na empresa. A companhia não comentou as acusações da assédio e não deve se pronunciar sobre o assunto. Ela justificou que a mudança organizacional acontece para realizar uma transição mais rápida ao metaverso. Alex também não fez comunicado à imprensa e não respondeu à reportagem da Business Insider.

 

Publicidade

Canais Especiais Hypeness