Arte

Agenda Hype: Favela Sounds, Festival de Jazz, Ecofalante e 27 dicas culturais imperdíveis na semana

27 • 07 • 2022 às 12:55
Atualizada em 28 • 07 • 2022 às 09:45
Gabriela Rassy
Gabriela Rassy   Redatora Jornalista enraizada na cultura, caçadora de tendências, arte e conexões no Brasil e no mundo. Especializada em jornalismo cultural, já passou pela Revista Bravo! e pelo Itaú Cultural até chegar ao Catraca Livre, onde foi responsável pelo conteúdo em agenda cultural de mais de 8 capitais brasileiras por 6 anos. Roteirizou vídeo cases para Rock In Rio Academy, HSM e Quero Passagem, neste último atuando ainda como produtora e apresentadora em guias turísticos. Há quase 3 anos dá luz às tendências e narrativas culturais feministas e rompedoras de fronteiras no Hypeness. Trabalha em formatos multimídia fazendo cobertura de festivais, como SXSW, Parada do Orgulho LGBT de SP, Rock In Rio e LoollaPalooza, além de produzir roteiros, reportagens e vídeos.

Se tem uma palavra que define a Agenda Hype dessa semana é poder! Amantes dos festivais podem comemorar que tem programação boa em Brasília, Rio de Janeiro, Ouro Preto e Garanhuns (PE). O Favela Sounds volta para sua 6ª edição na Praça do Museu Nacional da República. O festival internacional de cultura de periferia tem 22 shows, entre eles Criolo, Jorge Aragão, Rebecca e Rachel Reis, além de conversas sobre viver de música e de moda.

No Rio, O Festival Tim Music Mulheres Positivas ocupa o Theatro Municipal e a Cinelândia com shows que exaltam a potência feminina na música, com Ludmilla, Luísa Sonza, Mart’nália e Liniker, além de uma homenagem a Elza Soares. Em Ouro Preto, o 20º Festival Internacional de Jazz de Ouro Preto – Tudo é Jazz tem shows de Madeleine Pieroux, Orquestra Jazz Big Band, Ana Cañas, tributos a Frank Sinatra e Ella Fitzgerald e muito mais. Já o FIG – Festival de Inverno de Garanhuns continua a programação multicultural indo da cultura popular à literatura numa ocupação imperdível da cidade pernambucana.

Em São Paulo acontece 11ª Mostra Ecofalante de Cinema com filmes dedicados às temáticas socioambientais. A cidade recebe ainda o show de lançamento do álbum de Bebé Salvego no Sesc Pompeia e do El Pavuna no Belenzinho. Vale ainda ver a 17ª temporada do Teatro nos Parques, com 12 espetáculos espalhados pela cidade.

Vem na minha!

#festivais e shows

6º Favela Sounds – O Baile
Praça do Museu Nacional da República – Brasília
29 e 30 de julho, das 17h às 04h
Grátis – retirar ingressos através do site
A Favela voltará a fazer revolução a poucos metros da Praça dos Três Poderes, em Brasília. Após edição online em 2021, o festival internacional de cultura de periferia retorna ao seu lugar de origem para realizar sua sexta edição, em formato presencial, mas sem deixar de lado o aprendizado do virtual. Criolo, Jorge Aragão, Rebecca, Cesar MC, Ruxell, Marley no Beat, N.I.N.A., Rachel Reis e O Poeta estão entre os 22 shows programados para a maratona que leva o nome de “O Baile”. Na sexta, 29, ainda acontece o debate “Viver de música”, com a produtora dos Racionais MCs Eliane Dias e “Viver de moda”, com o artista mineiro Kdu dos Anjos, no Instituto Federal de Brasília (IFB).

Festival Tim Music Mulheres Positivas
Theatro Municipal Rio de Janeiro e Palco Elza Soares (Cinelândia)
Sexta e sábado, 29 e 30/7, 19h
R$ 15 (inteira)/R$ 7,50 (meia)
O festival, que traz um line-up de mulheres diversas, começa sexta-feira com um concerto no Theatro Municipal do Rio de Janeiro que conta com as vozes de Ludmilla, Luísa Sonza, Mart’nália e Liniker, junto à Orquestra Mulheres Positivas. Com ingressos a preços populares, toda a renda será revertida a instituições de apoio à violência contra mulher. Já no sábado, o ‘Palco Elza Soares’ – em homenagem à grande artista que nos deixou em janeiro, aos 91 anos – será montado em plena Cinelândia, para receber Liniker, Larissa Luz, Juliana Linhares e Annalú.

30º FIG – Festival de Inverno de Garanhuns
Palcos e espaços espalhados por Garanhuns (PE)
De 15 a 31 de julho
Grátis
O maior festival multicultural da América Latina celebra 30 anos ocupando a cidade de Garanhuns com mais de 800 atrações entre arte popular, música, literatura, teatro, audiovisual, moda, artesanato, circo e exposições. Entre os destaques desta última semana, shows de Baco Exu do Blues, Larissa Luz, Carlos Malta e o Pife Muderno em Gil 80! 200 Anos Antes Do Expresso 2222; Margareth Menezes, Xande dos Pilares, Illy, Tulipa Ruiz e Pipoco das Galáxias, cortejo de afoxés, Fafá de Belém, Bixarte, Banda Eddie, Flaira Ferro e muito mais.

4º MARTE Festival
Ouro Preto, Minas Gerais
26 a 30 de julho
Grátis
Após uma edição online, o MARTE Festival retoma as suas atividades presenciais em 2022, levando música, arte e tecnologia, mais uma vez, para a cidade histórica de Ouro Preto, em Minas Gerais. A Casa da Ópera, o Anexo do Museu da Inconfidência, a Casa de Gonzaga e a Praça Tiradentes serão palco de shows de artistas como Agnes Nunes, Tuyo e Vhoor, além de performances, painéis, palestras e oficinas gratuitas. O MARTE traz ainda shows de Edgar, Forró Red Light, Getúlio Abelha, Craca, Nobat, Kastrup, Guizado, Maíra Baldaia, Jesus Lumma & Klüber, DJ Black Josie, Reveal Ensemble + Carla Sceno & Sergio Pererê. Em paralelo a programação musical, o festival promove debates sobre o mercado musical com Ana Cecília (Produtora Cultural), Ana Morena (DoSol), Barral Lima (Ceo Grupo UN Music e Produtor Musical), Bia Nogueira (IMUNE), Carol de Amar (Festival Sarará e Lagum), entre outros.

20º Festival Internacional de Jazz de Ouro Preto – Tudo é Jazz
Ouro Preto, Minas Gerais
31 de julho e 7 de agosto
Grátis
Ouro Preto recebe um dos maiores festivais de jazz do país, que nesta edição traz shows de Madeleine Pieroux, Orquestra Jazz Big Band, Ana Cañas, tributos a Frank Sinatra e Ella Fitzgerald e muito mais, além de exposição de fotografias, oficinas, roda de conversa e palestra do estilista Ronaldo Fraga. O Festival Internacional de Jazz de Ouro Preto – Tudo é Jazz, que completa 20 anos, faz também uma homenagem à sua idealizadora, Maria Alice Martins (agosto 1951 – novembro 2020). Os mestres ferreiros Diego Fernandez e Marcos Cecéu terão presença marcante na programação de Ouro Preto em quatro momentos no dia 31 de julho, na Casa de Cultura Negra: roda de conversa (14h), oficina de forja de tambores a partir do ferro (15h) e aula de percussão e tambores (16h), além do show SambaPretoChoroJazZ (17h).

Bebé
SESC Pompeia
28 de julho, quinta-feira, às 21h30
R$ 40 (inteira)
Bebé mostra canções de seu álbum homônimo, que questionam as realidades existentes em sua jornada de amadurecimento e autoconhecimento, destacando temas como a incerteza do futuro, autossabotagem, ansiedade e insegurança. Se fortalecendo por meio da introspecção, tenta entender a si mesma e a sociedade a sua volta. Entre os destaques do repertório, “Saltos de Realidade”, “Tenta me Entender”, “00:01” e músicas inéditas que serão experimentadas ao vivo, já apontando para os próximos voos da artista.

El Pavuna
Sesc Belenzinho SP
Sábado, 30, 21h
R$ 40 (inteira)
Sambista carioca, escalado para o Espaço Favela do Rock In Rio, apresenta o novo single “Quando o Amor Acontece” (João Bosco e Abel Silva), além das canções de seu primeiro disco, “Vide o Céu da Zona Norte às Cinco e Meia”, lançado no último Dia Nacional do Samba. O disco, majoritariamente autoral, tem participação especial de Jorge Aragão e arranjos e produção de Wilson Prateado.

Raíces de América: Drummond, Neruda, Cortázar, Meireles e Galeano
Centro Cultural São Paulo
Domingo, 31, 18h
Entrada gratuita — ingressos serão distribuídos uma hora antes do show
Em comemoração dos 40 anos do grupo “Raíces de América”, o show reúne músicos argentinos, brasileiros e chilenos. A apresentação é também uma homenagem a poesia e a cultura latina, trazendo inserções pontuais da atriz Elizete Gomes, com poemas e textos de Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Pablo Neruda, Júlio Cortázar e Eduardo Galeano. Afilhados da lendária Mercedes Sosa, o grupo Raíces de América representa o que há de melhor na cultura latino-americana, e pretende trazer para o palco do Centro Cultural São Paulo a sonoridade que hoje conquista o mundo!

Curativos poéticos virtuais e outras relações celulares
Online
Até 28 de agosto
Sábados a partir das 18h, Domingos a partir das 17h 
Inscrições em: entreoito.com.br
Uma sala virtual como lugar de encontro e afeto. Realizada pelo Coletivo Entre8, a performance propõe encontros à distância que aproximam o público de uma nova forma de trocar afetos. Através de sessões de 10 minutos cada, em formato digital, diferentes espaços e narrativas convidam o público a fazer uma pausa. O ambiente digital como cenário de acolhimento é parte de um processo criativo de redescobertas para o grupo. Com o foco de aproximar o público em suas propostas afetivas, se desenvolveram maneiras possíveis para diminuir a distância entre telas. Assim, a performance on-line se torna um portal cheio de caminhos por onde se cria arte relacional.

#música

Chico César e Geraldo Azevedo | Dia Branco
Composta há quase meio século, “Dia Branco” é um marco no imenso e brilhante cancioneiro de Geraldo Azevedo. É uma música que claramente influencia o jeito de fazer canções nas gerações posteriores à dele. Principalmente dos cantautores nordestinos, mas não só: nela encontramos pistas para cantar o amor de um jeito nosso. Ligado à natureza, ao tempo, sem pieguice. E aí a contribuição do letrista Renato Rocha é fundamental. Parte do repertório do show Violivoz, de Chico César e Geraldo Azevedo, a nova versão arranjada pela dupla sai pelo selo Altafonte, já com clipe dirigido por Fernando Neumayer e Luís Martino.

Clara Coelho e Flaira Ferro | Cataclismas do amor
Ver o mundo parar e ficar em casa impactou a todos. E com menos movimento nas ruas, a poluição do ar diminuiu em diversas cidades pelo globo, rios se tornaram mais claros e o ser humano pode ver de perto o mal que está fazendo ao meio ambiente. Ao mesmo tempo, teve que olhar para dentro e refletir sobre sua própria vida. O impacto da pandemia de Covid-19 também afetou as artistas Clara Coelho e Flaira Ferro e fez com que elas se juntassem para criar um disco intitulado “ÁUA”. O primeiro single “Cataclismas do Amor”, que sai pelo selo Tropical Gold, ressoa justamente essa percepção de refletir sobre o novo modo de viver neste planeta.

D’Ogun | Feito de Funk
Abrindo caminhos entre passado, presente e futuro, o cantor fala sobre seus ancestrais, sobre a cena e sobre o ser-estar dos seus iguais ao redor do mundo neste novo registro de estúdio. Para ele, “Ser feito de funk é ter malemolência, é ter cabeça erguida, swing, malícia, malandragem. É papo reto, disposição, autoestima… É saber de onde você veio, aonde você vai e principalmente onde você precisa estar”. São 5 faixas ao todo, conduzidas pela funk music e por suas subvertentes.

Gabriel Aragão | ABRECAMINHOS
Um multi artista que comprova sua versatilidade com um novo capítulo em sua trajetória: o lançamento do primeiro EP solo. O trabalho vem na sequência da estreia literária do artista, “O Livro das Impermanências” (Editora Letramento, 2021), do lançamento da trilha para o filme “Malhada Vermelha” e de mais de uma década à frente da banda Selvagens à Procura de Lei, referência no indie rock nacional. Agora, Gabriel mostra outro lado de suas canções em quatro faixas, incluindo a inédita “Toca o Barco”, que também ganha um clipe.

Alejandro Hernandez | Live in São Paulo
O café pode ser fraco, forte, amargo, doce, ácido ou aromático, assim como a vida, pois é possível vivê-la de várias formas e viver situações diversas. E é o café que dá a liga para o primeiro trabalho solo do venezuelano radicado no Brasil Alejandro Hernandez, que acaba de lançar o EP gravado no estúdio Nimbus para convidados e amigos em abril deste ano.

#cinema

11ª Mostra Ecofalante de Cinema
30 cinemas e espaços culturais de São Paulo e online para todo Barsil
De 27/07 a 17/08
Grátis
O mais importante evento audiovisual sul-americano dedicado às temáticas socioambientais está de volta em formato híbrido. A Cerimônia de Abertura acontece no dia 27/07, na Reserva Cultural, com o inédito “Animal”, a mais recente obra do diretor e escritor francês Cyril Dion, também exibido em Cannes. Com um total de 106 filmes de 35 países, entre eles, os indicados ao Oscar “Ascensão”, de Jessica Kingdon, e “Escrevendo Com Fogo” de Rintu Thomas (este também premiado em Sundance), além de “Mil Incêndios”, de Saeed Taji Farouky, premiado nos festivais de Locarno, “Birds of America” de Jacques Loeuille, selecionado para o Festival de Roterdã. O Festival exibe também a aclamada e inédita série “Uprising”, do premiado diretor Steve McQueen e James Rogan, e os longas que analisam as redes sociais e seus impactos no cérebro, saúde mental e relacionamentos, também inéditos no Brasil, “Geração Z”, de Liz Smith, e “Searchers: O Amor Está nas Redes”, de Pacho Velez. Entre os títulos nacionais e latinos destacam “Adeus, Capitão”, o mais recente longa do cineasta Vincent Carelli, “Lavra”, de Lucas Bambozzi, “Ocupagem”, de Joel Pizzini, “Rolê – Histórias dos Rolezinhos”, de Vladimir Seixas, “A Praia do Fim do Mundo” – Petrus Cariry com Marcelia Cartaxo , o argentino “Esqui”, prêmio da crítica na seção Fórum do Festival de Berlim, o cubano “A Opção Zero” de Marcel Beltrán, entre outros.

Um Acidente de Presidente – Como Donald Trump Ganhou a Eleição
Na quinta-feira, 28 de julho, o Belas Artes À LA CARTE exibe o documentário que procura responder a pergunta: como Trump conseguiu se eleger a presidente dos Estados Unidos? Dirigido por James Fletcher e produzido por Angus Wall – vencedor em diversas categorias do Oscar e Emmy Awards (Ícarus, Ava Duvernay: Olhos que Condenam, A 13ª Emenda e A Mente do Assassino: Aaron Hernandez da Netflix) -, o filme levou os prêmios de “Melhor Documentário” e “Melhor Produção” no Los Angeles Documentary Film Festival. O título, que já é auto explicativo, questiona o que aconteceu em 2016 nos Estados Unidos, como a maior economia do mundo pôde eleger alguém como Donald Trump à presidência?

#visuais

Elipse, Eclipse, Apocalipse
Planetário do Carmo SP
31 de julho a 30 de outubro
Grátis
Proporcionando uma experiência sensorial e artística num espaço científico de pesquisa astronômica, a artista visual Marcia Ribeiro vai interseccionar saberes e criar relações de complementaridade entre as dimensões do macro e do microcosmos na mostra. Com obras pictóricas, instalações e proposição de exercícios criativos, ela estabelece pontes entre as noções de subjetividade e de coletividade. Em todas as obras, Marcia propõe uma reflexão sobre a nossa condição enquanto “parte de um todo”, exercitando a noção de consciência universal.

Marcia Ribeiro

#cênicas

Teatro nos Parques Unilever 2022
Vários parques da cidade de São Paulo
Até 14 de agosto, aos sábados e domingos
Grátis, só chegar
A 17ª temporada do evento reúne 12 obras para públicos de todas as idades, encenadas por talentosos grupos em 7 parques da capital paulistana. Nesta semana, a Cia. Pia Fraus, especializada em teatro de bonecos, que apresenta “Círculo das Baleias” no dia 30 de julho, às 15h, no Parque do Nabuco. A peça apresenta ao público uma parte do ciclo de vida das baleias jubarte e o que é preciso para que elas sobrevivam em seu ecossistema. Esta é a segunda edição nacional do projeto, que segue para Minas Gerais e Pernambuco

Xandú Quaresma – A Farsa do Cangaceiro, Truco e Padre
Teatro Paulo Eiró
29 a 31 de julho de 2022
Sexta e sábado às 21h e domingo às 19h
Gratuito
O espetáculo explora o teatro de cordel de Chico de Assis e estreia no Teatro Paulo Eiró com direção de Débora Dubois e canções originais de Thomas Huszar e Alex Huszar, cheio de referências à cultura popular. O elenco é formado por José Eduardo Rennó, Cristiano Tomiossi, Conrado Caputo, Greta Antoine, Gisela Millás, Dênis Goyos e Lui Vizotto. Encenado pela primeira vez em 1967, o texto de Chico de Assis se chamava originalmente “Farsa com Cangaceiro Truco e Padre” e encerrava uma trilogia de teatro de cordel, composta ainda pelas peças “O Testamento do Cangaceiro” (1961) e “A Aventura de Ripió Lacraia” (1963).

#literatura

Lado C – A trajetória musical de Caetano Veloso até a reinvenção com a bandaCê
Máquina de Livros
Muito se conhece – e se fala – sobre o Caetano Veloso das palavras, o grande letrista, entre os maiores da história da MPB. A roupagem sonora que em-bala a desconcertante poesia do autor, porém, não é tão lembrada quando se avalia sua obra. Não que seja menos importante. Caetano é um músico incomum e antenado no resultado de seu trabalho, em que forma e conteúdo são indissociáveis. Lado C, , escrito pelos pesquisadores Luiz Felipe Carneiro e do Tito Guedes, chega às livrarias no dia 29 de julho, narra justamente a sonoridade buscada por Caetano desde o início de sua carreira, com destaque para a virada radical com a BandaCê, power trio que montou em 2006 com músicos 30 anos mais jovens. Em um período de dez anos, foram três discos de canções inéditas, outros três ao vivo e grandes turnês que rodaram o Brasil e o mundo.

#gastronomia

Virô Bistrô
Clássicos bistrôs franceses e pequenos cafés em diversos países serviram de inspiração para a criação do Virô Bistrô, comandado por Lalo Zanini no Baixo Augusta. O restaurante, cujo nome é marca registrada do restaurateur e fez grande sucesso nos anos 2000, funciona desde fevereiro no imóvel onde o bar Tubaína recebeu por nove anos o público descolado da região. A casa valoriza comida e bebida na mesma medida, oferecendo do almoço ao jantar, sem intervalo, um cardápio casual com preços convidativos, que apresenta receitas mundialmente conhecidas e criações próprias. Eu amei o queijo brie empanado com mel e torradas, que serve bem 3 pessoas, e o Escargot com salsa de ervas. Nos pratos, o polvo perfeito acompanhado de batatas, tomatinhos e cebola com molho agridoce delicado e o Confit de pato com gratin de batata ganham destaque. Não deixe de provar os drinks, em especial o Virô Gin Tônica (gin, hibisco e limão) e o Le Jack Fire (jack daniels, vinho tinto e maracujá), ambos com espuma de gengibre.

Publicidade

Fotos de destaque:
Destaques Favela Sounds

Jorge Aragão por Yves Lohan
Criolo por Helder Fruteira
Rebecca/Divulgação


Canais Especiais Hypeness