Ciência

Avião dos EUA da 2ª guerra achado no mar do Rio Grande do Norte pode revelar cemitério de aeronaves

04 • 07 • 2022 às 10:00 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Um avião da marinha dos EUA que caiu em mares brasileiros durante a Segunda Guerra Mundial foi encontrado recentemente nas águas da Praia de Maracajaú, em Maxaranguape, no Rio Grande do Norte. De acordo com especialistas, mergulhadores e pescadores sabem que a região possui um verdadeiro cemitério de aeronaves, com ao menos 10 outros aviões no fundo do mar, acidentados entre Parnamarim e Maracajaú.

Parte da fuselagem do avião, encontrada no fundo do mar do estado do Rio Grande do Norte

Parte da fuselagem do avião, encontrada no fundo do mar do estado do Rio Grande do Norte

-Avião da 2ª Guerra pousa no mar depois de sofrer pane

O hidroavião bimotor Catalina, do Esquadrão 83 da Marinha dos EUA, caiu por volta das 18h20 do dia 13 de junho de 1942, após decolar de Belém na direção da base aérea estadunidense então localizada em Parnamarim. De acordo com relatórios da época, “as condições de voo eram não-desejáveis, era de noite, não tinha luz, estava chovendo, teto baixo, visibilidade chegando a zero”, explicando o motivo do acidente.

Um avião modelo Catalina nos anos 1940, similar ao que caiu no Brasil

Um avião estadunidense modelo Catalina nos anos 1940, similar ao que caiu no Brasil

-Existe uma bomba atômica perdida no fundo do mar há 50 anos perto da costa dos EUA

Os documentos revelam que o avião transportava dez pessoas, das quais sete morreram no acidente, e três foram resgatadas e abrigadas por pescadores de Barra de Maxaranguape. A estrutura da aeronave foi descoberta no início do mês de junho de 2022 por pesquisadores do Rio Grande do Norte, mas acredita-se que partes do avião tenham sido encontradas nos anos 1990, mas guardadas em segredo. No dia 13 de junho, flores foram jogadas no mar no ponto onde o avião caiu, para homenagear os 80 anos do acidente.

Registros da marinha dos EUA sobre o acidente com o avião

Registros da marinha dos EUA sobre o acidente com o avião

-O misterioso desaparecimento da primeira mulher a sobrevoar o Atlântico tem novas pistas

A antiga base dos EUA localizada no Rio Grande do Norte é a explicação para o cemitério de aeronaves que os pesquisadores especulam que pode existir nos mares da região: consta que diversos escombros já foram descobertos ao longo dos anos, mas também mantidos em segredo. Os destroços do Catalina não serão removidos do fundo do mar, em respeito às pessoas que morreram no local, cujo as coordenadas foram informadas à Marinha do Brasil e às autoridades americanas.

Outra parte do avião encontrado entre

Outra parte do avião encontrado em Maxaranguape, no Rio Grande do Norte

Publicidade

© fotos 1, 4: Paul Bouffis/Centro Cultural Trampolim da Vitória

© foto 2: Wikimedia Commons

© foto 3: Centro Cultural Trampolim da Vitória  


Canais Especiais Hypeness