Sustentabilidade

Brasileiros enfrentam -18º C em nevasca histórica na Cordilheira dos Andes: ‘Não sentia os dedos’    

18 • 07 • 2022 às 11:56 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Centenas de brasileiros, entre turistas e caminhoneiros, ficaram presos na Cordilheira dos Andes por conta da nevasca que castigou a região e impôs temperaturas de até -18º C.

A estrada que liga a Argentina ao Chile atravessando a cadeia de montanhas ficou bloqueada por conta da neve, prendendo caminhões e ônibus. Ao Fantástico, da Rede Globo, um dos caminhoneiros falou que “não sentia os dedos” enquanto se abrigava do frio na cabina do veículo por dias.

A nevasca histórica prendeu centenas de brasileiros e milhares de pessoas nos Andes

A nevasca histórica prendeu centenas de brasileiros e milhares de pessoas nos Andes

Fila de caminhões presos na estrada durante a semana passada

Fila de caminhões presos na estrada durante a semana passada

-Eles foram ao pub para um show cover de Oasis e ficaram presos 3 dias por causa da neve

Nevasca e frio assustador 

Um ônibus com mais de 30 turistas que viajava para Santiago, capital do Chile, precisou ser resgatado e ficou preso na alfândega chilena.

De acordo com as autoridades, mais de 1,2 mil pessoas tiveram de ser resgatadas ao longo da semana tanto do lado argentino quanto chileno, com mais de mil veículos presos nas estradas entre os dois países por conta da neve. A Rodovia Paso Internacional Los Libertadores é uma importante via comercial do Brasil com o porto do Chile, para conexão com o mercado asiático.

Veículos tiveram de ser abandonados para o resgate dos motoristas, que corriam risco de morte

Veículos tiveram de ser abandonados para o resgate dos motoristas, que corriam risco de morte

-Cidade mais ao norte da Rússia não se abala nem ao ser engolida por 11 dias seguidos de neve

De acordo com a Federação dos Caminhoneiros Autônomos do Rio Grande do Sul (Fecam-RS), cerca de 500 caminhões ficaram presos nos Andes: em períodos normais, a estrada recebe cerca de 1,5 mil caminhões por dia.

Os motoristas resgatados foram transportados pela polícia local e o exército chileno para abrigos, como uma escola na cidade de Los Andes, que alojou turistas e caminhoneiros. Os turistas que viajam de ônibus ficaram 4 dias presos na alfandega, mas chegaram até a capital chilena, e tinham previsão de retornar ao Brasil hoje, dia 18.

O exército chileno resgatou cerca de 1,2 mil pessoas por conta da última nevasca

O exército chileno resgatou cerca de 1,2 mil pessoas por conta da última nevasca

-Dependência de caminhões? Para historiador, ditadura militar ’emperrou’ ferrovias no Brasil

Vem mais neve por aí

Segundo o governo do Chile, a previsão é de que hoje também pare de nevar na região, reduzindo o frio para que as estradas possam ser liberadas nos próximos dias. Muitos motoristas resgatados tiveram de abandonar os veículos, e retornaram aos locais para reaver os carros e caminhões.

As autoridades estudam se houve erro no controle do trânsito durante a nevasca. Além da ameaça à vida das pessoas, também é grande o impacto comercial por conta da paralização.

Turistas abrigados na alfândega do Chile por conta da neve e do frio

Turistas abrigados na alfândega do Chile por conta da neve e do frio

Publicidade

© fotos 1, 5: Carabineros de Chile/Divulgação

© fotos 2, 3, 4: TV Globo/Reprodução


Canais Especiais Hypeness