Debate

Câmeras no uniforme de PMs reduzem mortes em 80%; tome nota de candidatos contrários à medida

08 • 07 • 2022 às 09:57
Atualizada em 08 • 07 • 2022 às 11:26
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

A implantação de câmeras nos uniformes dos policiais militares fez o número de mortes provocadas pelas ações despencarem em 80%.

A informação foi revelada a partir de dados obtidos em reportagem exclusiva do UOL, e compara os números após um ano de atividades.

Segundo a reportagem assinada por Wanderley Preite Sobrinho, em 19 batalhões que utilizaram as câmeras foram registradas 41 mortes entre junho de 2021 e maio de 2022, contra 207 mortes nos 12 meses anteriores à instalação do equipamento.

-Rota zera mortes desde adoção de câmera na farda de PMs

Candidatos conversadores criticam medida 

As lesões corporais provocadas durante ações policiais também caíram a partir do início do programa: a redução foi de 28%, com 44 incidentes registrados, contra 61 ocorrências no período anterior.

Os números, portanto, comprovam de forma inequívoca a eficácia do programa na redução da violência em operações policiais, mas muitos candidatos ao governo de grandes estados, como São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, ainda se dizem contrários à instalação de câmeras nos uniformes dos PMs.

-Pela 1ª vez, câmera na farda grava PM matando pessoa desarmada em SP

Em São Paulo, por exemplo, três candidatos prometeram, se eleitos, restringir o programa de uso das câmeras nos uniformes.

São eles Márcio França, do PSB, Tarcísio de Freitas, do Republicanos e candidato de Jair Bolsonaro, e o ex-ministro da educação do presidente, Abraham Weintraub, do PMB.

Tarcísio e França já afirmaram que irão retirar os equipamentos, ou restringir o uso ao controle dos policiais. Atualmente, o sistema registra todo o turno dos PMs, sem acionamento manual e sem permitir que o oficial interrompa a gravação.

-PMs ignoram câmera e executam homem negro em plena luz do dia durante abordagem em SP

Fernando Haddad, candidato ao governo de São Paulo pelo PT, afirmou que dará prosseguimento ao projeto. No Rio de Janeiro, a maioria dos candidatos se declarou a favor da medida.

Marcelo Freixo, do PSB, Felipe Santa Cruz, do PSD, e Anthony Garotinho, do União Brasil, se colocaram a favor do uso das câmeras no uniformes dos PMs cariocas. O atual governador, Claudio Castro, do PL, que busca reeleição, também se afirmou a favor, mas teve de justificar o atraso para início do programa entre a polícia carioca – segundo Castro, o atraso se deu por problemas de licitação, e será instalado em breve.

-Pesquisa relaciona truculência policial e raça: 85% das pessoas abordadas são negras

No Rio Grande do Sul, as câmeras estão sendo testadas desde abril de 2021, mas em pequena quantidade, e muitos candidatos são a favor da medida: declararam-se contrários Marco Della Nina, do Patriota, e Onyx Lorenzoni, do PL, que está em segundo lugar nas pesquisas.

Os policiais também podem ter acesso e utilizar as filmagens registradas em seus uniformes, para própria proteção ou esclarecimentos.

Publicidade

© fotos 1, 2: Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

© foto 3: Rovena Rosa/Agência Brasil

© foto 4: Fernando Frazão/Agência Brasil 


Canais Especiais Hypeness