Inspiração

Chás para ansiedade: conheça os benefícios da melissa, da tília e do mulungu

11 • 07 • 2022 às 11:13 Roanna Azevedo
Roanna Azevedo   Redatora Diretamente da zona norte do Rio, é jornalista por profissão e curiosa por conta própria. Ama escrever sobre cinema e o universo do entretenimento há mais de dois anos. Tem paixão por tudo que envolve cultura, música, arte e comportamento, além de ficar sempre ligada no que rola no mundinho da comunicação nas redes sociais.

De acordo com o dicionário, ansiedade significa angústia, aflição, sensação de perturbação gerada pela incerteza. É um sentimento intrínseco à vivência emocional humana, mas, dependendo da situação e da intensidade, é capaz de se tornar até mesmo patológico. Principalmente nos casos em que se sentir ansioso não é um transtorno, muitas pessoas recorrem a tratamentos naturais para aliviar os sintomas, como a ingestão de chás com efeito calmante, sendo o mais famoso deles o de camomila.

Estudo diz que cérebro pode diminuir ansiedade e aumentar foco com envelhecimento

Mas essa não é a única infusão eficiente no combate à ansiedade. Abaixo, citamos outras três ervas com ativos relaxantes igualmente poderosos.

Chá de melissa

A melissa tem propriedades calmantes poderosas.

A Melissa officinalis é uma planta com propriedades medicinais poderosas. Ela costuma ser usada para combater os sintomas da ansiedade graças aos flavonoides e ao polifenol ácido rosmarínico, componentes que apresentam capacidade sedativa e calmante, reduzindo o estresse da mente e do corpo. Por esse motivo, é mais eficaz se for consumido a noite.

Além de importante para o tratamento da ansiedade, a melissa também pode ser utilizada para prevenir gripes e resfriados, dores de cabeças, cólicas menstruais, problemas gastrointestinais e infecções virais. Também possui ação antioxidante e melhora a qualidade do sono.

Estudo busca voluntários para tratamento com cannabis contra ansiedade e insônia

Como preparar o chá de melissa?

Você vai precisar de:
250 ml de água
1 colher de sopa de melissa desidratada

Primeiramente, ferva a água e, depois de um tempo, desligue o fogo. Acrescente a melissa desidratada e abafe o recipiente durante 10 minutos. Por fim, coe o chá, que pode ser servido quente ou gelado. Se preferir um sabor mais forte, é possível combiná-lo com hortelã, flor de laranjeira ou camomila.

Quais são as contraindicações?

O chá de melissa não pode ser tomado por grávidas e lactantes. Quem tem glaucoma ou problemas de tireoide também não deve ingerir a bebida. Já pessoas que sofrem de pressão alta podem beber, mas com bastante moderação.

Pandemia gera ansiedade pós-lockdown por medo de reabertura

Chá de tília

A tília também é conhecida como teja, texa, tilha ou tejo.

Também conhecida como teja, texa, tilha ou tejo, a tília é uma planta medicinal de origem europeia. As espécies Tília cordata, Tília platyphyllos e Tília x vulgaris costumam ser as mais utilizadas por quem deseja tratar algum problema de saúde, principalmente a ansiedade. As propriedades da erva conseguem inibir os receptores benzodiazepínicos, reduzindo as atividades do sistema nervoso central e proporcionando uma sensação de relaxamento.

A tília também pode ser usada para aliviar a febre, tratar o estômago e infecções por fungos, reduzir a pressão arterial, a glicose e a retenção. Apesar de não ser comum, algumas pessoas podem apresentar efeitos colaterais ao consumir o chá feito com a planta, como coceira na pele e coriza. Nesses casos, é melhor suspender a ingestão.

Kim Basinger revela luta contra ansiedade: ‘Eu não saía’. Entenda a fobia de lugares públicos

Como preparar o chá de tília?

Você vai precisar de:
150 ml de água
1,5 gramas de flores e folhas secas de tília (para crianças de 4 a 12 anos, a quantidade de tília deve ser de 1 grama para cada 150 ml de água)

O primeiro passo é ferver a água, adicionar a tília e tampar o recipiente. Depois de 5 a 10 minutos, coe o chá e espere esfriar um pouco. O ideal é bebê-lo de 2 a 4 vezes por dia.

Quais são as contraindicações?

O chá de tília não deve ser tomado por pessoas que sofrem de problemas relacionados ao coração pois suspeita-se que a planta tenha efeito tóxico sobre o músculo cardíaco. Grávidas, lactantes e crianças menores de 4 anos também devem evitar o consumo da bebida.

Ansiedade é um hábito que pode ser abandonado, segundo este psiquiatra; saiba como

Chá de mulungu

Além de calmante, o mulungu também tem ação anti-inflamatória.

O mulungu, que atende pelo nome científico de Erythrina mulungu, também é conhecido como bico-de-papagaio, canivete, árvore-de-coral ou corticeira. Como possui propriedade calmante e anticonvulsivante, é amplamente usada para tratar insônia e ansiedade, além de diversas alterações do sistema nervoso.

A erva também tem ação analgésica, antitérmica, hipotensiva e anti-inflamatória. É capaz de tratar ainda ataques de pânico, histeria, estresse pós-traumático, depressão, epilepsia, enxaqueca e pressão alta. Efeitos colaterais são raros, mas em caso de sonolência, sedação ou paralisia muscular, é preciso suspender a ingestão imediatamente.

KombuJah: Aí vai uma receita para fazer kombucha de maconha em casa

Como preparar o chá de tília?

Você vai precisar de:
1 xícara de água
4 a 6 gramas de casca de mulungu

Em um recipiente, ferva a água junto do mulungu durante 15 minutos. Em seguida, coe a bebida e espere amornar. O conselho é tomá-la de 2 a 3 vezes ao dia e evitar fazer isso por mais de três dias corridos.

Quais são as contraindicações?

Grávidas, lactantes e crianças menores de 5 anos não devem ingerir chá de mulungu. A bebida também precisa ser evitada por pessoas que tomam remédios antidepressivos ou anti-hipertensivos sem supervisão médica.

Publicidade

Foto 1: Reprodução/Wikipedia

Foto 2: Rasa Kasparaviciene/Unsplash

Foto 3: Reprodução/Pinheiro Plantas


Canais Especiais Hypeness