Arte

Corais e recifes são transformados em esculturas de tecido pela artista japonesa Mariko Kusomoto

15 • 07 • 2022 às 15:14
Atualizada em 19 • 07 • 2022 às 10:33
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Se os corais, recifes, esponjas e vegetações do fundo do mar parecem obras de arte coloridas, a artista e designer japonesa Mariko Kusomoto transforma essas formas marinhas literalmente em esculturas.

Como o movimento da água é parte das belezas subaquáticas, para “incluir” esse sensível efeito a artista utiliza tecidos macios como poliéster, nylon e algodão.

As esculturas em tecido de emulam as formas e movimentos do fundo do mar

As esculturas em tecido de Mariko Kusomoto emulam as formas e movimentos do fundo do mar

-Artista cria incríveis esculturas de coral bordadas para incentivar a preservação dos oceanos

Assim, a delicadeza das formas e dos seres marítimos se traduzem na própria fragilidade translúcida do material escolhido pela artista, natural de Kumamoto, no Japão, que atualmente vive em Boston, nos EUA.

Reunindo esculturas menores e maiores em grandes composições, os recifes de fibra de Kusomoto formam verdadeiros ecossistemas em tecido, textura e cor. Curiosamente, antes de utilizar os tecidos, ela trabalhava com esculturas em ferro.

As esculturas são feitas em poliéster, nylon, algodão e outros tecidos delicados

As esculturas são feitas em poliéster, nylon, algodão e outros tecidos delicados

A artista busca refletir nas esculturas os fenômenos que a encantam na vida

A artista busca refletir nas esculturas os fenômenos que a encantam na vida

-Ela passou 4 meses criando corais de papel e o resultado é de cair o queixo

“Meu trabalho reflete diversos fenômenos observáveis que estimulam minha mente e meus sentidos, tanto naturais quanto feitos pela humanidade, Eu os ‘reorganizo’ em uma nova apresentação que pode ser descrita como surreal, prazerosa, graciosa ou inesperada”, afirma

Kusomoto, em sua apresentação em seu site. Segundo a artista, há, ao mesmo tempo, uma atmosfera alegre e divertida que atravessa as esculturas. “Eu sempre gosto de deixar espaço para a imaginação do espectador”, afirma.

Junto das formas reconhecidas da natureza, a artista reconhece alegria e surrealismo em seu trabalho

Junto das formas da natureza, a artista reconhece alegria e surrealismo em seu trabalho

O trabalho de Kusomoto reúne peças menores em ecossistemas maiores

O trabalho de Kusomoto reúne peças menores em ecossistemas maiores

-Primeiro museu submerso do mundo que permite apreciar arte durante um mergulho é inaugurado

Os trabalhos que realizava em metal eram especialmente imagéticos, partindo de um desafio técnico grande: as esculturas com tecido são uma evolução das propriedades do metal para um material completamente oposto.

“Durante o processo de experimentação, há sempre um momento que nos tira o ar: eu ‘capturo’ esses momentos para desenvolver ideias a partir desse ponto”, afirma. “Eu espero que o espectador experiente descoberta, surpresa e maravilha no meu trabalho”.

Corais, recifes e esponjas se transformam em obras têxteis pela artista japonesa

Corais, recifes e esponjas se transformam em obras têxteis pela artista japonesa

Publicidade

© fotos: Mariko Kusomoto/reprodução


Canais Especiais Hypeness