Debate

Kit ‘laboratório de energia atômica’: o brinquedo mais perigoso do mundo

13 • 07 • 2022 às 09:06
Atualizada em 15 • 07 • 2022 às 10:39
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Hoje em dia, os vídeo-games representam boa parte do entretenimento consumindo pelas crianças. Mas houve um momento na história em que os jogos físicos faziam bastante sucesso entre a juventude. Lá na década de 1950, uma empresa tentou lucrar em cima de um ‘laboratório de energia atômica‘, em algo que foi considerado um dos brinquedos mais perigosos de todos os tempos.

O Gilbert U-238 Atomic Energy Lab ou Laboratório de Energia Atômica Gilbert U-238 foi um brinquedo desenvolvido pela A. C. Gilbert Company, uma finada empresa de brinquedos, considerada pioneira do ramo.

Laboratório atômico com radioatividade em potinho para crianças! Não é ironia!

O nome U-238 faz referência ao Urânio 238, o isótopo estável do urânio, que não causa reações nucleares. Contudo, ele é radioativo. E o brinquedo da Gilbert também era. Ele continha quatro amostras de urânio radioativo, mas incapaz de fissão de nuclear.

Além disso, possuía quatro amostras de outros metais com baixa radiação, como o chumbo, o rutênio e o zinco. Mas além dos materiais radioativos, as crianças também poderiam se divertir com um medidor Geiger–Müller, capaz de sentir a radioatividade de um local.

Também estavam no brinquedo um eletroscópio, que mostrava a carga elétrica de um objeto, um espintariscópio, uma câmara de nuvens, que mostra a transmissão dos íons elétricos dentro de um vídeo, além de outros equipamentos científicos.

O brinquedo foi lançado no ano de 1950 e custava cerca de 49 dólares, valor hoje próximo dos 600 dólares corrigidos pela inflação.

Potinhos com urânio, chumbo e outros metais radioativos, além de equipamentos que explicam radioatividade para crianças

Ele saiu um ano depois das prateleiras, mas não por conta de sua insegurança. Avaliaçõe da A. C. Gilbert Company julgaram que o brinquedo era muito caro para as famílias dos EUA na época.

A propaganda do laboratório afirmava o seguinte: “Produz imagens inspiradoras! Permite que você realmente VER os caminhos de elétrons e partículas alfa viajando a velocidades de mais de 10 mil milhas por SEGUNDO! Elétrons correndo em velocidades fantásticas produzem caminhos delicados e intrincados de condensação elétrica – é lindo de assistir”.

Hoje, existem cerca de 500 Gilbert U-238 Atomic Energy Lab no mundo. O brinquedo era relativamente seguro, desde que as câmaras com materiais radioativos não fossem danificadas. Mas ele é uma prova de que os anos 1950 eram realmente bem diferentes de hoje em dia.

Publicidade

Fotos: Wikimedia Commons


Canais Especiais Hypeness