Inspiração

‘Macumber’: o motorista que faz corridas para filhos de santo no Rio de Janeiro

12 • 07 • 2022 às 09:52 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Quando o motorista de aplicativo Edson Araújo decidiu oferecer transporte em segurança para filhos de santo e praticantes de religiões de matriz africana no Rio de Janeiro, um apelido rapidamente surgiu entre seus clientes: macumber. O motorista não só adorou como passou a utilizar a alcunha em seus anúncios: “Vai para saída de santo e não tem como voltar? Macumber é a solução”, diz a postagem, que viralizou principalmente em grupos especializados no Facebook.

o motorista de aplicativo Edson Araújo usa seu "macumber" contra a intolerância religiosa

o motorista de aplicativo Edson Araújo usa seu “macumber” contra a intolerância religiosa

-Racismo religioso: mãe perde guarda da filha após levá-la à umbanda

O serviço nasceu da experiência pessoal de Edson, de 36 anos, acostumado a receber olhares e comentários preconceituosos indo para cerimônias religiosas, bem como a se sentir inseguro ou ameaçado trajando, por exemplo, roupas de candomblé. “Então pensei em criar um tipo de serviço onde as pessoas de religiões de matriz africana pudessem se sentir confortáveis e sem medo”, afirmou, em reportagem do G1.

O anúncio do "Macumber" que viralizou nas redes sociais

O anúncio do “Macumber” que viralizou nas redes sociais

-Pastor se filma destruindo oferendas do Candomblé em novo caso de racismo religioso

Segundo revela, atualmente cerca de 70% de seus clientes são fiéis da umbanda ou do candomblé. Os preços são próximos dos valores cobrados no aplicativo, calculando apenas a diferença relativa à especialidade do serviço, já que Edson busca o cliente em casa, muitas vezes aguarda a cerimônia terminar, e o leva de volta em segurança. No caso, por exemplo, de um cliente que precisa colocar uma oferenda, ele aguarda o fim do ritual.

No post, Edson explica os detalhes de seu serviço especializado

No post, Edson explica os detalhes de seu serviço especializado

-Escolas de samba: 6 desfiles que lutaram contra o racismo religioso

Da mesma forma, o serviço leva em consideração o cuidado com objetos delicados que muitas vezes são transportados. “Transporto Ibá, ebó, santo; busco compras de santo e peças ritualísticas”, diz o anúncio, que viralizou principalmente após ser compartilhado pelo escritor, professor e pesquisador Luiz Antônio Simas. “Alô, turma da curimba: Macumber é a solução. São Sebastião do Rio de Janeiro sempre ensinando que na impossibilidade da zona de conforto a gente busca ter conforto na zona. Indico o serviço”, diz o post de Simas.

Edson recebendo condecoração pela OAB

Edson recebendo condecoração pela OAB

-Governo retira obra clássica dos Orixás do Palácio do Planalto em novo ataque contra religiões negras

O serviço surge em um momento em que as religiões de matriz africana enfrentam intensa onda de ataques no Brasil: o preconceito se estende até mesmo à polícia e à justiça. Assim, o próprio motorista é o primeiro a afirmar que a solução ideal seria a conscientização e o fim do preconceito, mas enquanto essa mudança não chega, ele oferece segurança para seus irmãos e irmãs se transportarem com segurança pelo Rio de Janeiro e região.

Publicidade

© fotos: Arquivo pessoal/reprodução


Canais Especiais Hypeness