Tecnologia

Minority Report da vida real: algoritmo prevê crimes com até 90% de precisão

14 • 07 • 2022 às 10:10
Atualizada em 14 • 07 • 2022 às 10:11
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Cientistas da Universidade de Chicago desenvolveram um novo algoritmo que prevê crimes com até 90% de precisão, analisando dados e padrões de aprendizado. Parece familiar? É porque, até agora, isso era coisa de filmes, como Minority Report, uma ficção científica em que uma unidade especial de polícia pode prender assassinos antes que cometam seus crimes com a ajuda de três humanos clarividentes chamados Precogs, que podem visualizar homicídios iminentes. 

Na versão da “vida real”, os cientistas apostam mesmo na ciência e afirmam ter desenvolvido um sistema alimentado por IA que também é capaz de prever crimes com uma precisão de 90%. Esse algoritmo avançado funciona aprendendo padrões de tempo e localizações geográficas a partir de dados públicos sobre crimes violentos e contra a propriedade. 

– Os algoritmos musicais dos serviços de streaming são sexistas?

Cientistas querem evitar a criação de perfis preconceituosos

De acordo com a Universidade de Chicago, o novo modelo “isola o crime observando o tempo e as coordenadas espaciais de eventos discretos e detectando padrões para prever eventos futuros”. Ele divide as cidades em blocos espaciais de aproximadamente 300 metros de largura e prevê crimes nessas áreas, em vez de depender de bairros tradicionais ou limites políticos, que também estão sujeitos a preconceitos.

– Como o racismo algoritmo se vale da ausência de negros na tecnologia

Algoritmo poderá impedir que o crime aconteça

Aparentemente, a precisão das previsões do novo algoritmo foi de até 90% e funcionou não apenas para Chicago, mas também com dados de outras sete cidades dos EUA: Atlanta, Austin, Detroit, Los Angeles, Filadélfia, Portland e São Francisco. “Criamos um gêmeo digital de ambientes urbanos. Se você alimentar dados do que aconteceu no passado, ele dirá o que acontecerá no futuro”, disse Ishanu Chattopadhyay, PhD, professor assistente de Medicina da UChicago e autor sênior do estudo.

– Negros são 83% dos presos injustamente por reconhecimento fotográfico no país onde ‘racismo não existe’

O modelo foi testado e validado usando dados históricos de Chicago em torno de duas grandes categorias de crimes: crimes violentos (homicídios, assaltos e agressões) e crimes contra a propriedade (roubos, furtos e roubos de veículos motorizados) e, de acordo com o recém-publicado estudo, poderia prever crimes futuros com uma semana de antecedência com cerca de 90% de precisão.

Publicidade

Canais Especiais Hypeness