Debate

Museu da Alemanha terá que devolver fóssil de dinossauro levado ilegalmente do Brasil

22 • 07 • 2022 às 10:01
Atualizada em 24 • 07 • 2022 às 20:18
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Um museu alemão será obrigado a devolver ao Brasil um fóssil levado ilegalmente do país por pesquisadores nos anos 90.

O fóssil do dinossauro Ubirajara jubatus foi adquirido pelo Museu de História Natural de Karlsruhe, no sudeste da Alemanha, em 1995 e, diante da incapacidade dos pesquisadores de provarem a legalidade da aquisição, a decisão recente do Conselho de Ministros de Baden-Württemberg se deu em favor do pedido de devolução, realizado por autoridades brasileiras.

Representação artística do Ubirajara jubatus, com suas penas e hastes

Representação artística do Ubirajara jubatus, com suas penas e hastes

-Descoberto no Brasil o mais antigo dinossauro “pescoçudo” do mundo

Ubirajara é do Brasil!

Desde que o primeiro artigo científico apresentou a espécie, há cerca de um ano e meio, o caso do Ubirajara jubatus motivou a comunidade científica brasileira e internacional no combate ao tráfico de fósseis, mobilizando uma intensa campanha virtual pela devolução.

O artigo desrespeitava a legislação brasileira, que determina que os fósseis aqui descobertos são patrimônio nacional, não podem ser vendidos e precisam de autorização especial para deixarem o país.

O fóssil, em imagem divulgada pelo museu alemão

O fóssil, em imagem divulgada pelo museu alemão

-O incrível fóssil completo de dinossauro que foi resgatado do tráfico

Os pesquisadores que assinam o artigo alegaram que o processo foi feito dentro da lei, mas não conseguiram apresentar a documentação exigida. Segundo a imprensa alemã, a “má-conduta científica inaceitável do museu” irritou o Ministério da Ciência do país, e a pressão nas redes se tornou em temor pela reputação sobre a comunidade científica, levando até mesmo o museu, que inicialmente se recusou a devolver o dinossauro, a mudar de posição.

Uma das centenas de artes que entraram na campanha pela devolução: "Não à ciência colonial"

Arte de Lucas Kias na campanha pela devolução: “Não à ciência colonial”

-Fóssil de ancestral de tiranossauro é encontrado em cidade do interior do Rio Grande do Sul

O artigo foi assinado pelo antigo diretor do museu alemão, o paleontólogo Eberhard Frey, e também pelo atual diretor, Norbert Lenz, que já anunciou que deixará o cargo em breve. As autoridades do país ainda não determinaram um prazo para a devolução nem de que forma se dará o processo, e o destino do fóssil no Brasil ainda é incerto.

Museu de História Natural de Karlsruhe

O Museu de História Natural de Karlsruhe

-Após incêndio, governo Bolsonaro corta R$ 12 milhões do Museu Nacional

Apesar do Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, em Santana do Cariri, no Ceará, ter participado das negociações e estar localizado na região onde o Ubirajara viveu, há cerca de 110 milhões de anos, a imprensa alemã afirmou que o fóssil poderá ser enviado para o Museu Nacional, no Rio de Janeiro. A hipótese não foi confirmada, mas acendeu outro debate, sobre a concentração do fósseis importantes em instituições da região sudeste, mesmo que tenham sido encontrados no nordeste do país.

Publicidade

© foto 1: Bob Nicholls/Paleocreations.com/reprodução

© foto 2: Instagram/Museu de História Natural de Karlsruhe/reprodução

© foto 3: Twitter/@lucaskias/reprodução

© foto 4: Wikimedia Commons

 


Canais Especiais Hypeness