Debate

O nude que ajudou a resolver o maior roubo da história do Reino Unido

25 • 07 • 2022 às 21:18 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

O maior roubo doméstico da história do Reino Unido só pôde ser desvendado e começar a ser resolvido pela polícia britânica graças a um nude. A série de crimes aconteceu no final de 2019 contra casas de celebridades na Inglaterra, e exigiu uma imensa e tortuosa investigação internacional para desmantelar a gangue e prender a maioria dos suspeitos, mas a primeira e mais importante surgiu quase por acaso, e veio de uma foto que um dos suspeitos enviou de si mesmo sem roupa para uma funcionária de um hotel.

Tamara Ecclestone ao lado do pai, Bernie Ecclestone

Tamara Ecclestone ao lado do pai, Bernie Ecclestone

-A história do roubo da privada de ouro avaliada em R$ 34 milhões

 O assalto principal, considerado o maior da história do país, aconteceu em dezembro de 2019 na casa de Tamara Ecclestone, filha de Bernie Ecclestone, ex-chefe da Fórmula 1, quando a família estava viajando, e de onde foram levados mais de 25 milhões de libras, equivalentes a cerca de 165 milhões de dólares atuais, em joias e dinheiro. Durante a investigação, porém, a polícia descobriu se tratar de uma série de assaltos, também contra a casa do técnico de futebol Frank Lampard e de Vichai Srivaddhanaprabha, o falecido dono do clube de futebol Leicester City, que rendeu à gangue mais de 1 milhão de libras, ou cerca de 6,6 milhões de reais, em relógios e dinheiro.

Parte do imenso acervo de joias roubado da casa de Tamara Ecclestone

Parte do imenso acervo de joias roubado da casa de Tamara Ecclestone

-Ross? Suspeito de roubo na Inglaterra causa espanto por semelhança com astro de ‘Friends’

Até chegar ao nude revelador, a investigação pouco sabia sobre os criminosos, e partiu de imagens das câmeras de segurança das casas. Seguindo pistas e entrevistando taxistas e outras pessoas que teriam estado com os bandidos, o detetive policial Thomas Grimshaw a uma região do sudeste de Londres, onde os criminosos foram vistos, e intuitivamente decidiu investigar um hotel: lá, descobriu que não só homens que se encaixavam nas descrições suspeitas haviam se hospedado no período, como um deles enviou mensagens indesejadas e inapropriadas para uma funcionária – incluindo um nude.

Imagens das câmaras de segurança mostrando os suspeitos de terem entrado na casa

Imagens das câmaras de segurança mostrando os suspeitos de terem entrado na casa

Retrato policial de Jugoslav Jovanovic, o italiano que enviou o nude que ajudou na investigação

Retrato policial de Jugoslav Jovanovic, o italiano que enviou o nude que ajudou na investigação

-Fotografias históricas do casal de criminosos Bonnie e Clyde são expostas pela primeira vez

A partir de tal mensagem, foi possível chegar a um número de telefone e, então, ao nome de Jugoslav Jovanovic, um italiano de 23 anos que participou dos crimes. As informações sobre Jovanovic permitiram à polícia chegar aos diversos outros participantes e, a partir de um esforço internacional que passou pela Itália, a Croácia, o Japão, desmantelar a gangue quase que por inteira. Um dos mentores, o peruano Alfredo Lindley, porém, permanece livre na Sérvia, por conta da política de não extradição do país. As joias, relógios e outros materiais roubados, no entanto, ainda não foram encontrados.

O suspeito Alfredo Lindley que até hoje permanece livre na Sérvia

O suspeito Alfredo Lindley que até hoje permanece livre na Sérvia

Publicidade

© foto 1: Getty Images

© fotos 2, 3, 4, 5: Met Police/reprodução


Canais Especiais Hypeness