Ciência

Tempestade solar: entenda os impactos na sua vida do fenômeno que pode atingir a Terra hoje

19 • 07 • 2022 às 11:32 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Uma forte tempestade solar pode atingir a Terra nesta terça-feira, dia 19. O Hypeness explica abaixo os possíveis efeitos do fenômeno.

A tempestade solar tem potencial para provocar interrupção em sinais de satélites, GPS, rádio e até mesmo no fornecimento de energia elétrica, além de auroras intensas em uma faixa mais extensa do planeta. A previsão da Nasa é de que o impacto do longo filamento de plasma “lançado” pelo sol aconteça no início do dia, mas alguns modelos matemáticos sugerem que a tempestade pode chegar aqui até quinta-feira, dia 21.

Foto do sol registrada pelo em 18 de julho de 2022

Foto do sol registrada pelo Observatório Solar Dynamics, da Nasa, em 18 de julho de 2022

-Blackout de internet de meses pode atingir a América do Norte em caso de tempestade solar

Tempestade solar

O plasma foi ejetado na última sexta-feira, dia 15, e registrado pelo Observatório Solar Dynamics, satélite da agência especial estadunidense, em um “balé esplêndido” saindo do Sol.

“A orientação magnética dessa tempestade solar direcionada à Terra será difícil de prever. Condições para um nível G2 [moderado] ou possivelmente G3 [forte] podem ocorrer se o campo magnético dessa tempestade estiver orientado na direção sul”, diz o tweet da Dra. Tamitha Skov, especialista no fenômeno, mostrando a nuvem de partículas.

-Tempestade solar: que efeitos teria hoje o evento que causou um apagão no Canadá em 1989

Se atingir nosso planeta em uma intensidade forte, é possível que a tempestade cause danos aos satélites em nossa órbita, interrupções ou interferências nos sistemas GPS e de rádio, interferência em sistemas de segurança (podendo causar alarmes falsos), danos em transformadores de energia e até mesmo pequenas flutuações ou interrupções no funcionamento das redes elétricas.

O evento também costuma provocar auroras boreais e austrais especialmente intensas. Não há, porém, além desses contratempos em nossos sistemas de comunicação, maiores riscos para o planeta e sua população.

Reprodução artística do Observatório Solar Dynamics, satélite da Nasa lançado para observar o sol

Reprodução artística do Observatório Solar Dynamics, satélite lançado para observar o sol

-Sonda da Nasa toca o Sol pela 1ª vez na história: ‘É como o pouso na Lua’

Ejeção de massa coronal 

O fenômeno das tempestades também é conhecido como Ejeção de massa coronal (CME) e causa tais alterações ao impactar diretamente o campo magnético da Terra.

A maior parte das CMEs, no entanto, não é sequer percebida. O sol vem atravessando um período atual de atividades intensas e elevadas, levando a uma maior quantidade de fenômenos como tempestades magnéticas e auroras: a tendências é que a incidência e a força desses fenômenos aumentem nos próximos meses.

Representação de explosão solar ocorrida em agosto de 2021

Representação de CME ocorrida em agosto de 2021

Publicidade

© foto 1: NASA

© fotos 2, 3: Wikimedia Commons


Canais Especiais Hypeness