Debate

Austrália: a senadora indígena que chamou Elizabeth II de colonizadora dentro do parlamento

05 • 08 • 2022 às 10:14
Atualizada em 08 • 08 • 2022 às 10:38
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

A senadora indígena australiana Lidia Thorpe referiu-se à Rainha Elizabeth II como “colonizadora” durante cerimônia de posse no parlamento do país.

Thorpe incluiu o adjetivo no juramento que deveria enunciar para tornar-se senadora, e foi obrigada a repetir o texto sem o termo: segundo a constituição australiana, todos os senadores e parlamentares devem jurar lealdade à rainha britânica para assumir os cargos.

A senadora, no momento do protesto, no parlamento australiano, no dia 1

Thorpe no momento do protesto, realizado durante a posse parlamento australiano, no dia 1

-A poderosa comunidade de aborígenes trans que há décadas combate o preconceito na Austrália

‘Colonizadora sua majestade, a rainha Elizabeth II’

Eleita pela legenda Verdes por Vitória, a senadora fez a afirmação de punho erguido no ar no dia 1 de agosto: “Eu soberana, Lidia Thorpe, juro solene e sinceramente que serei fiel e mantenho verdadeira lealdade à colonizadora sua majestade, a rainha Elizabeth II”, disse, incluindo a palavra “colonizadora” no juramento formal.

O protesto causou reação de outros senadores, que chegaram a afirmar que ela não seria senadora se não realizasse o juramento de acordo com o protocolo previsto.

Assista abaixo:

-Decolonial e descolonial: qual a diferença entre os termos?

Após ser obrigada pela presidente do senado a refazer o juramento, Thorpe em seguida postou uma foto sua do momento, com o punho erguido, acompanhada da legenda “soberania nunca cedida”.

Apesar da constituição da Austrália afirmar que todo senador deve fazer o juramento, especialistas afirmaram à imprensa britânica que caberia ao parlamento decidir se a atitude impediria a senadora de assumir o cargo.

A senadora durante cerimônia no parlamento, em 2020

A senadora durante cerimônia no parlamento, em 2020

-Como a colonização europeia contribuiu para a instabilidade política em países africanos

Recentemente, Thorpe afirmou que a Austrália como conhecemos era um “projeto colonial”, e que a bandeira do país não a representava. “Representa a colonização dessas terras e não tem permissão para estar aqui. Não houve consentimento, não houve tratado”, disse, em entrevista.

Segundo Thorpe, a realização do juramento “à colonizadora” se deu como um sacrifício para que ela possa estar na mídia e no senado a fim de “questionar a ocupação ilegítima do sistema colonial neste país”.

Colonização britânica

A Austrália foi colônia britânica por mais de 100 anos, em período no qual a população aborígene do país foi massacrada, e comunidades indígenas inteiras foram destruídas.

O país conquistou independência do Reino Unido em 1901, mas nunca se tornou uma república de fato: pesquisas recentes mostram que a maioria da população é favorável a transformar o país em uma república autônoma, mas não há consenso sobre como o chefe do estado deverá passar a ser escolhido.

Publicidade

© foto 1: Twitter/@SenatorThorpe/reprodução

© foto 2: Wikimedia Commons


Canais Especiais Hypeness