Sustentabilidade

Baleia é vista em águas de SC há 20 anos e cria relação com biólogos

06 • 09 • 2022 às 10:23
Atualizada em 06 • 09 • 2022 às 17:36
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

A cada três anos, a baleia franca austral Sloughy retorna às águas do litoral sul de Santa Catarina, para se reproduzir e visitar seus amigos do Projeto Franca Austral. Também conhecido como ProFranca, o projeto é ligado ao Instituto Australis, e estuda a vida dos cetáceos an região desde 1987.

Catalogada como B139-02 mas apelidada de “fiel”, Sloughy nasceu em 2002, e os diários do projeto mostram que desde então, ao início de cada processo reprodutivo, ela retornou ao litoral catarinense para recomeçar o ciclo.

Sloughy, à direita, ainda filhote, nas águas catarinenses no ano em que nasceu, em 2002

Sloughy, à direita, ainda filhote, nas águas catarinenses no ano em que nasceu, em 2002

-Resgatada há 15 anos, baleia reaparece no litoral catarinense

Em 2005 se deu seu primeiro retorno e, em 2007, ela voltou ao Brasil acompanhada de um filhote. Em 2022, a temporada começou mais cedo, em junho, e a baleia fiel está de volta, ao lado de outras duas cetáceas companheiras, Marisca e Zimba.

As três são monitoradas pelo projeto, e junto com a visita novos filhotes ganham seus registros devido – e poderão trazer mais contribuições científicas pelas análises.

A baleia "fiel" na aparição mais recente, em 2022

A baleia “fiel” na aparição mais recente, em 2022

-Surfista salva baleia presa em rede no mar de Santa Catarina; veja vídeo

Baleia semialbina 

Entre esses filhotes está uma nova baleia semialbina, com manchinhas pretas sobre sua pele branca, no início de uma longa vida de “parceria” e “amizade” com a ProFranca: uma baleia franca austral pode viver até 80 anos.

Além de Sloughy, Mariscal e Zimba, o projeto também conta com as baleias JDot e Felícia, cada uma com seu histórico de aparições, comportamentos e filhotes. As informações são de reportagem da plataforma Um Só Planeta, que conversou com pesquisadoras ligadas à iniciativa.

A baleia Mariscal, que também é monitorada pelo projeto

A baleia Mariscal, que também é monitorada pelo projeto

-Jubarte pega duas mulheres na boca na Califórnia; cena é filmada por banhistas

“Sloughy está aqui em frente à nossa sede. Sabemos o ano em que ela nasceu, e podemos ainda acompanhar mais e saber quantos filhotes ela teve, quantos anos vai viver… A gente se sente íntimo da baleia”, diz Karina Groch, diretora de pesquisa do projeto. “É possível que a Sloughy consiga viver mais que eu! A próxima geração de pesquisadores poderá estar aí, a avistando no futuro”, diz.

Adote uma baleia

As seis baleias “parceiras” do ProFranca e do Insituto Australis são as estrelas do programa Adote uma Baleia, que convida a população a contribuir pela manutenção da pesquisa e do monitoramento das baleias franco austrais.

A contribuição tem como recompensa um histórico completo das aparições do animal “adotado”, fotos e informações atualizadas das visitas do animal.

Divulgação pela adoção de Sloughy, que também é conhecida no projeto como "a desbravadora"

Divulgação pela adoção de Sloughy, que também é conhecida no projeto como “a desbravadora”

Publicidade

© fotos: Projeto ProFranca/Instituto Australis


Canais Especiais Hypeness